Print Friendly, PDF & Email

Alguém briga com Jesus porque ele dorme enquanto o barco se debate com ondas encapeladas.
No mar da nossa vida quantas vezes perguntamos mas afinal onde é que Deus está?

O Pe. Zezinho tem um texto no qual nos podemos rever:
"Depois daquela morte repentina, depois que dos meus olhos Deus levou a luz do sol, depois daquela perda sem aviso e sem sentido, admito que duvidei de Deus.
Briguei com Deus porque não respondeu quando lhe perguntei porquê. Ele, que tudo sabe, tudo pode, tudo vê, parece que não viu, nem me escutou.
Doeu demais e, quando dói do jeito que doeu, a gente chora, grita e desafia o Criador. Admito que me revoltei. Onde é que estava Deus com o seu imenso amor? Se Deus é amoroso, então por que deixou? Por que tinha de ser do jeito como foi?
Briguei com Deus e se briguei foi por saber que Deus ouvia… Admito que voltei para Deus e voltei porque não me calei…"

Se alguém hoje briga com Deus é porque sabe que Ele está próximo.

Depois de ser interpelado, Jesus, apenas com duas palavras, acalma a tempestade, isto é, Jesus faz muita coisa com poucas palavras (multa paucis) enquanto quem discute faz pouca coisa com muitas palavras (pauca multis).

Pe. José David Quintal Vieira, scj
davidvieira@netmadeira.com