Print Friendly, PDF & Email

Aqui no noviciado, tudo decorre agora com normalidade. Depois do movimento registado nos últimos dias, impõem-se o merecido descanso, ou melhor, o digno serenar.
O dia 10 do corrente mês, data da nossa chegada à Casa do Noviciado, pautou-se pelo movimento ao qual ninguém parecia acostumado, quer pelo número de pessoas que crescia à medida que às horas avançavam no relógio, quer pela agitação que as primeiras impressões a sério causam. Após o jantar e a chegada dos dois açoreanos, lá nos juntamos, pela primeira vez, em redor do nosso ”recém adquirido” mestre e dos dois noviços para as habituais apresentações e …indicações.
Após um extenuante dia de preparação, o dia 11, participamos, bastante entusiasmados, na já habitual reunião de tantos e tantos confrades nesta casa, que tão bem caracteriza o dia 12 de Agosto, dia em que celebramos a morte do Pe Dehon.
Mas este dia teve outros acontecimentos importantes. Participamos na clara e enriquecedora sessão solene, onde os noviços, Roberto Gil e João Carlos, apresentaram o seu trabalho ”Um Caminho no Espírito”, espécie de tese de licenciatura. A exposição foi feita de forma original e inovadora.
A Eucaristia, presidida pelo nosso provincial, Pe Manuel Barbosa, contou com um especial momento, a renovação dos votos religiosos de dois confrades camaroneses que, em Portugal, se preparam para colaborar no projecto SCJ em Angola. O Max renovou os seus votos pela quinta vez, enquanto que o Jean Paul os renovou pela quarta.
Ao almoço de gala, seguiu-se a também habitual romagem ao cemitério. Mais que uma visita foi uma homenagem àqueles que nos precederam e que de uma maneira ou de outra contribuíram para o crescimento e enriquecimento da nossa província. Seguiram-se as Vésperas cantadas. E, como o desporto é uma verdadeira “escola de virtudes”, terminamos o dia com um jogo de futebol.
Despeço-me como postulante na esperança de que, numa próxima vez, o possa fazer como noviço dehoniano.
Que o Coração de Jesus a todos continue a iluminar e a cumular de bênçãos.

| Ricardo Filipe, postulante scj |