início início congregação congregação província província comunidades comunidades pessoas pessoas pastoral pastoral
bilbioteca biblioteca agenda agenda/efemérides opinião opinião ligações  ligações
documentos
 
biblioteca governo geral
biblioteca governo provincial
biblioteca outros documentos
estudos dehonianos
 
biblioteca obras de leo dehon
biblioteca estudos
biblioteca textos oficiais
multimédia
 
biblioteca apresentaes pps
biblioteca vdeos
biblioteca banco de imagens
arquivo
 
biblioteca dossier
biblioteca msicas
biblioteca calendrio histrico
biblioteca album de fotografias
biblioteca outros materiais

 

No sinal da f e da graa imprimir

CANTO DE EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO

INTRODUÇÃO

O homem sem fé é incapaz de abandonar a noite do pecado, mas ao ser justificado pela fé em Cristo Jesus, morto e ressuscitado, pode entrar na luz de uma nova vida: a salvação de Deus.
Depois de nos reconciliarmos com Deus, Jesus Cristo abriu-nos o caminho da libertação do pecado, da morte e da lei. O canto da vida cristã é um canto do Espírito e da Esperança.

Escutai a Palavra de Deus, da Carta do Apóstolo São Paulo aos Romanos (Rm 5,1-11)

Uma vez que fomos justificados pela fé, estamos em paz com Deus por Nosso Senhor Jesus Cristo. Por Ele tivemos acesso, na fé, a esta graça na qual nos encontramos firmemente e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus. Mais ainda, gloriamo-nos também das tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência, a paciência a firmeza, e a firmeza a esperança. Ora a esperança não engana, porque o amor de Deus foi derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. De facto, quando ainda éramos fracos é que Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente alguém morrerá por um justo; por uma pessoa boa talvez alguém se atreva a morrer. Mas é assim que Deus demonstra o seu amor para connosco: quando ainda éramos pecadores é que Cristo morreu por nós. E agora que fomos justificados pelo seu sangue, com muito mais razão havemos de ser salvos da ira, por meio dele. Se, de facto, quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com Ele pela morte de seu Filho, com muito mais razão, uma vez reconciliados, havemos de ser salvos pela sua vida. Mais ainda, também nos gloriamos em Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem agora recebemos a reconciliação.

Silêncio para reflexão pessoal e para adoração

ORAÇÃO

Cristo carregou as nossas culpas no seu corpo, sob o madeiro da cruz,
para que, mortos para o pecado, vivamos para a justiça;
pelas suas feridas fomos curados.
Cheios de confiança, invoquemos o seu nome:

Todos: Cristo, Filho do Deus vivo, acolhe-nos na tua misericórdia.

Jesus, médico do corpo e das almas, cura as nossas feridas,
- suporta-nos sempre com a força do teu Espírito.

Sumo-sacerdote, misericordioso e fiel nas coisas de Deus,
- intercede sempre pelo teu povo junto do Pai.

Novo Adão, obediente à vontade do Pai,
- liberta-nos da corrupção do homem velho que está em nós e reveste-nos do homem novo.

Cordeiro pascal, faz que adiramos cada vez mais à tua pessoa,
- para Te seguir fielmente para onde fores.

Senhor da Igreja, que morreste e ressuscitaste por nós,
- dá a todos os homens da terra a vida em abundância.

Ó Deus,
que na grandeza da tua misericórdia
de pecadores nos transformas em justos
e da tristeza do pecado nos fazes passar à alegria da vida nova,
assiste-nos com o poder do teu Espírito,
para que, acolhendo o dom da justificação pela fé,
perseveremos até ao dia de Cristo Senhor
que vive e reina pelos séculos dos séculos.
Ámen.

CÂNONE DE TAIZÉ (OU OUTRO)

Adoramus Te, Christe, benedicimus tibi,
quia per crucem tuam redemisti mundum!
Quia per crucem tuam Redemisti mundum.


 

 

 


© Sacerdotes do Coração de Jesus - Dehonianos
R. Cidade de Tete, 10   .   1800-129 Lisboa - Portugal   .   Telefone: 218 540 900   .   E-mail: portugal@dehonianos.org