início início congregação congregação província província comunidades comunidades pessoas pessoas pastoral pastoral
bilbioteca biblioteca agenda agenda/efemérides opinião opinião ligações  ligações
documentos
 
carta de comunho
famlia Dehoniana
 
   
carta de comunho imprimir

A Família Dehoniana, entendida como o conjunto dos diversos componentes (SCJ, Consagrados e Leigos) que se inspiram no projecto espiritual do Pe. Leão Dehon, como resposta à vocação pessoal e missão na Igreja, é hoje uma realidade.

Na sua origem, está a graça, o estímulo e a perspectiva cristológica e eclesiológica do Concílio Vaticano II: a visão da Igreja como Povo de Deus, chamado à santidade em virtude do baptismo que o insere no mistério pascal de Cristo, povo peregrino e empenhado no mundo e na história, na comunhão da caridade com todos os seus membros...

O Fundador tem o dom particular de perceber a dimensão do carisma, de vivê-lo em primeiro lugar, de propô-lo à Igreja como "Projecto de vida evangélica" que vai além das fronteiras do Instituto que ele funda.

Neste sentido, o Fundador é um verdadeiro "pai espiritual", mesmo quando o carisma, prolongando-se no tempo, se transmite e se exprime em novas formas, que não foram perceptíveis até ao presente; formas que depois foram reconhecidas como autênticas e aprovadas pela Igreja.

O carisma é uma realidade dinâmica, tanto mais rica e bela quanto mais livre para criar novas expressões e para animar novos estilos de vida e de apostolado.

A partilha do mesmo Projecto de vida evangélica do Pe. Leão Dehon e a participação da mesma herança, fazem de nós uma Família.


Falar em Família, neste contexto, significa:

a. uma comunidade de vocações diversas (Scj, Consagrados, Leigos), que partilham o mesmo património ou herança;

b. a existência de diversos componentes, que participam do mesmo projecto carismático do Pe. Leão Dehon, completando-se reciprocamente, reforçando com a mesma espiritualidade comum a vocação própria e a missão específica de cada um;

c. a participação, como irmãos e irmãs, na mesma espiritualidade; relações fraternas e não de subordinação.

Partilhamos a mesma forma de abordar o mistério de Cristo, mas não necessariamente as modalidades concretas que o exprimem.

Participamos todos, conjuntamente, na missão carismática da "construção do Reino do Coração de Jesus nas almas e na sociedade"; mas as obras apostólicas através das quais se concretiza esta missão são diversas, enquanto correspondem à identidade própria de cada um dos componentes e enquanto actuam no âmbito específico de cada vocação.

O termo "Família" não se refere só a conteúdos comuns, considerados como a graça da fundação que vem do Espírito, mas também a uma mesma "pedra angular", a um "pai espiritual comum" - o Pe. Leão Dehon.

Ele é visto como o mediador eclesial desse dom do Espírito; ele é o guia que, através desse dom, nos conduz a Cristo.

O Espírito é o verdadeiro protagonista dos carismas: não deve espantar-nos que, na mediação do Pe. Leão Dehon, participe também a mediação da Madre Marie-Oliva-Uhlrich, com as "Soeurs Servantes du Coeur de Jésus", e a da Madre Marie-Véronique (Caroline Lioger), com "Les Religieuses du Coeur de Jésus"; também não deve espantar-nos o facto de, na evolução histórica desta realidade, sobrevirem mediações significativas que dão origem a novas componentes ou a novas formas de expressão do carisma.


LINHAS DE ORIENTAÇÃO

Carisma: Espiritualidade e Missão

Dom e graça do Espírito para toda a Igreja, o carisma do Pe. Leão Dehon consiste naquela inspiração-intuição inicial do mistério de Cristo que constituiu a experiência de fé do nosso Fundador, e a partir da qual ele respondeu às exigências pastorais da Igreja e aos desafios do seu tempo.

A experiência de fé do Pe. Leão Dehon - que constitui a herança da Família dehoniana - exprime-se na espiritualidade e na missão.

A Espiritualidade Dehoniana caracteriza-se por alguns elementos fundamentais:

a. a centralidade do mistério do Coração de Cristo, como amor que atinge os homens e que revela o amor do Pai - amor esse rejeitado pelo pecado;

b. a participação na oblação de Cristo na Eucaristia celebrada e adorada, partilhando os sentimentos pelo Pai e pelos homens, cooperando na construção da civilização do amor;

c. a aceitação da Virgem Maria como modelo de disponibilidade na fé;

d. o "sentir com a Igreja", o partilhar a paixão pelo anúncio do Evangelho, o empenho pela justiça, pela verdade, pela solidariedade, pela cultura...

e. o ser profetas do amor e servidores da reconciliação, atentos aos apelos da humanidade (promoção da dignidade humana, da paz, da fraternidade universal).

Tudo isto se concretiza num estilo de vida pessoal, caracterizado pela união com Cristo e pelo atento e cordial acolhimento das pessoas, por uma plena inserção na realidade do próprio contexto em que estamos inseridos e na história humana. Orienta a missão da Igreja com acentuação privilegiada no anúncio do amor de um Deus misericordioso e compassivo e no testemunho do amor e da ternura de Deus, que se manifestam no coração humano de Cristo. Recorre a sinais visíveis, como a adoração eucarística e a oblação reparadora, o culto ao Coração de Jesus, a memória do Pe. Leão Dehon... por meio dos quais manifesta a sua identidade.


A missão Dehoniana exige:

a. "instaurar o Reino do Coração de Jesus nas almas e na sociedade", animados e estimulados pela nossa espiritualidade característica;

b. colaborar na instauração desse Reino com a oração e com o empenho concreto em favor das pessoas, da Igreja, da sociedade, no âmbito da Igreja local;

c. estar aberto a eventuais colaborações pastorais com os outros componentes da Família Dehoniana.

A missão Dehoniana está aberta a 'concretizações' diversificadas e não se identifica exclusivamente com uma única actividade apostólica.

Animada pelo Espírito, a Família Dehoniana é chamada a viver esta herança na vida quotidiana, segundo o próprio estado de vida, com empenhos concretos, pessoais e comunitários, espirituais e sociais.


Compõem a Família Dehoniana:

a. Os Sacerdotes do Coração de Jesus: religiosos-consagrados pelos votos num Instituto apostólico - que vivem o carisma do Pe. Leão Dehon, na sua espiritualidade e missão, segundo as próprias Constituições;

b. Os Leigos Dehonianos: aqueles que vivem o seu empenho baptismal, segundo a vocação e a missão laical, sustentados pela espiritualidade do Pe. Leão Dehon;

c. Alguns Institutos de vida consagrada, que com a mediação dos fundadores, reconhecem que as raízes do seu carisma estão ligadas ao projecto evangélico do Pe. Leão Dehon.

Todos os que compõem a Família Dehoniana são chamados a uma releitura e a uma incarnação do carisma, segundo a especificidade da sua própria vocação, e a fazer frutificar o carisma - segundo as exigências da Igreja no mundo - em fidelidade dinâmica.

Os SCJ, enquanto primeira realização histórica do carisma do Pe. Leão Dehon, prestam o serviço de guardar e garantir a fidelidade dinâmica na interpretação desse carisma.


Critérios de pertença à Família Dehoniana:

a. Compreender e viver a centralidade do mistério do Coração trespassado e aberto de Cristo;

b. reconhecer no Pe. Leão Dehon o "pai espiritual" do nosso próprio caminho espiritual na Igreja;

c. participar no seu carisma, partilhando a espiritualidade e a missão, segundo o próprio estado de vida. 

 






© Sacerdotes do Coração de Jesus - Dehonianos
R. Cidade de Tete, 10   .   1800-129 Lisboa - Portugal   .   Telefone: 218 540 900   .   E-mail: portugal@dehonianos.org