Print Friendly, PDF & Email

CANTO DE EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO

INTRODUÇÃO

A causa mais profunda da miséria humana está na recusa do amor de Cristo. Jesus faz-nos dom de acreditar que, apesar do pecado, os fracassos e a injustiça, a redenção é possível, foi oferecida em oferta, já está presente (Cst 12).
Aos seus religiosos, o Pe. Dehon pede que sejam profetas do amor e servidores da reconciliação dos homens e do mundo em Cristo (cf. 2Cor 5,18; Cst 7).
Nós somos chamados a inserir-nos neste movimento do amor redentor, dando-nos pelos irmãos, com Cristo e como Cristo que veio trazer um fogo à terra.

Escutai a Palavra de Deus, da Carta do Apóstolo São Paulo aos Romanos
(Rm 5,1-11)

Uma vez que fomos justificados pela fé, estamos em paz com Deus por Nosso Senhor Jesus Cristo. Por Ele tivemos acesso, na fé, a esta graça na qual nos encontramos firmemente e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus. Mais ainda, gloriamo-nos também das tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência, a paciência a firmeza, e a firmeza a esperança. Ora a esperança não engana, porque o amor de Deus foi derramado nos nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. De facto, quando ainda éramos fracos é que Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente alguém morrerá por um justo; por uma pessoa boa talvez alguém se atreva a morrer. Mas é assim que Deus demonstra o seu amor para connosco: quando ainda éramos pecadores é que Cristo morreu por nós. E agora que fomos justificados pelo seu sangue, com muito mais razão havemos de ser salvos da ira, por meio dele. Se, de facto, quando éramos inimigos de Deus, fomos reconciliados com Ele pela morte de seu Filho, com muito mais razão, uma vez reconciliados, havemos de ser salvos pela sua vida. Mais ainda, também nos gloriamos em Deus, por Nosso Senhor Jesus Cristo, por quem agora recebemos a reconciliação.

Silêncio para reflexão pessoal e para adoração
 

ORAÇÃO

(Prefácio da oração eucarística da reconciliação I)

É verdadeiramente justo dar-Te graças,
Pai Santo, Deus de infinita bondade.

Continuas a chamar os pecadores a renovarem-se no teu Espírito
e manifestas a tua omnipotência sobretudo na graça do perdão.

Muitas vezes os homens quebraram a tua aliança
e Tu em vez de os abandonar fizestes com eles um vinculo novo
por meio de Jesus, teu Filho e nosso Redentor,
um vínculo tão estável que nada mais poderá quebrar.

Também a nós ofereces um tempo de reconciliação e de paz,
para que confiando só na tua misericórdia
reencontremos a vida de volta a Ti
e, abrindo-nos à acção do Espírito Santo
vivamos em Cristo a vida nova
no louvor perene do teu nome e no serviço dos irmãos.

Por este mistério da tua benevolência
no espanto e na alegria da salvação reencontrada,
unimo-nos ao imenso coro dos anjos e dos santos para cantar a tua glória:

Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do Universo
O céu e a terra proclamam a vossa glória.
Hossana nas alturas.
Bendito O que vem em nome do Senhor.
Hossana nas alturas.

Estende a tua mão,
ó Pai misericordioso e clemente,
sobre a humanidade cansada e oprimida;
concede-nos uma fé rica de memória
e audaz no testemunho profético do teu amor
e no serviço generoso da reconciliação dos homens, contigo e entre eles.
Por Cristo Nosso Senhor.
Ámen.

CÂNONE DE TAIZÉ

Nesta escuridão o fogo que se acende não mais se apaga, não mais se apaga.