Print Friendly, PDF & Email

O Pe. António Colombi, primeiro mestre de noviços e primeiro Superior Provincial da Província portuguesa, nasceu a 11 de Fevereiro de 1929, em Bondo Petello, Bérgamo, Itália. Em 1941 entrou na Escola Apostólica de Albino. Emitiu a primeira profissão a 29 de Setembro de 1947, indo estudar Filosofia em Monza. De 1951 a 1953, com o Pe. Umberto Chiarello, foi prefeito no Colégio Missionário do Funchal. Foram os primeiros prefeitos italianos que vieram para Portugal. Depois de regressar a Bolonha e estudar Teologia, foi ordenado sacerdote a 24 de Junho de 1956. Inicialmente destinado a ser missionário em Moçambique, ficou em Portugal como prefeito de disciplina, primeiro em Aveiro e depois no Porto. Em 1959 foi nomeado Mestre dos Noviços. Em 1964 foi nomeado Superior Regional e, a 27 de Dezembro de 1966, ao ser erecta a Província Portuguesa SCJ, tornou-se o primeiro Superior Provincial. Ao terminar o seu mandato, após alguns meses de ecónomo, no Porto, tornou-se formador em Alfragide. De 1972 a 1989 exerceu o cargo de Ecónomo Provincial. Entretanto acumulou o cargo com o de Superior do Colégio Missionário (1973 a 1977) e de Superior do Seminário Pe. Dehon (de 1977 a 1983). De 1983 a 1986 foi superior e ecónomo do Noviciado. De 1987 a 1992, foi Superior e Ecónomo do Instituto Missionário. De 1992, até à sua morte, foi superior e Ecónomo do Centro Dehoniano.

A sua vida generosa e comprometida pode resumir-se assim: fez de si uma oblação ao Coração de Jesus e um serviço aos irmãos. De facto, viveu e foi testemunha, de modo exemplar, da espiritualidade que nos caracteriza na Igreja. Os superiores, os confrades e os párocos dos lugares onde vivia podiam recorrer a ele para as missões mais difíceis, nas situações mais adversas, nos momentos de apuro. Mais do que as suas palavras, é a sua vida, o seu estilo próprio e genuíno de ser dehoniano que conservamos como um precioso testamento deixado a toda a Família Dehoniana e a todos os que o conheceram. Um cristão da comunidade do Monte Formoso (Coimbra) deu o seguinte testemunho: “O Senhor Pe. António Colombi nasceu para ser Padre, viveu para ser santo. O seu sentido de serviço, o seu espírito de sacrifício sempre sereno, o seu testemunho de vida, em suma, levaram muita gente a reaproximar-se de Deus” .

Pensamento do Padre Dehon

“A alma vítima deve esquecer-se, tanto quanto possível, de si mesma e viver para Aquele que aceitou a sua oblação, e cuja glória pretende reparar e cujas divinas tristezas deseja consolar. Desejosa de reparar os pecados do povo, aceita as cruzes de cada dia e quereria até ser capaz de amá-las. Nós não chegaremos de um momento para outro a tal grau de generosidade” .
“Não pode o Coração de Jesus derramar sobre o mundo as riquezas de graças que devem realizar as maravilhas anunciadas para a época do pleno desenvol-vimento da Igreja? A promessa de nosso Senhor é que haverá um só rebanho e um só pastor. Deus quer dar ao seu Filho todas as nações em herança, conforme anunciaram os profetas. Poderá isso acontecer sem um novo transbordar do amor de Cristo que conquista os corações demasiado lentos a entregar-se?”

[ Fernando Fonseca, scj ]