Print Friendly, PDF & Email

Eis que arranca um novo ano lectivo um pouco por toda a parte… O Seminário Missionário Padre Dehon não escapa, naturalmente, à onda de regresso às aulas e demais actividades. Bom, ainda bem que não escapa: é sinal de que temos cá gente para receber e para ser recebida!
Com efeito, de regresso ao trabalho em plena força, a comunidade religiosa foi preparando o terreno para a chegada dos seminaristas, este ano em número de dezassete, sendo cinco os estreantes. Entre reuniões de programação, preparação de ambientes e idas frequentes à escola para tomada de conhecimento de turmas e horários, assim se foi ultimando os pormenores necessários à melhor recepção possível a fazer aos seminaristas e ao início de um novo ano de actividades.

No Domingo, dia 14, começaram a chegar os rapazes, recebidos pelo Pe. João Nélio, Orientador Disciplinar, pelo Pe. António, Superior da comunidade, e pelo Pref. André (a restante comunidade estava a participar nas festividades da Primeira Profissão, em Aveiro). À noite – e apesar do facto de ter havido já um primeiro “conhecer e dar-se a conhecer” entre os novos e os mais velhos nas Férias do Seminário, em Julho -, houve um momento de encontro dedicado especialmente à oração, a aprofundar o mútuo conhecimento e a fazer despontar as relações. Não pôde, porém, prolongar-se em demasia, dado que a Segunda-feira era já dia de apresentar-se na escola, para conhecer/relembrar regras, professores e colegas de turma.

Na Terça-feira, aproveitando o facto de não haver ainda aulas, fizemos uma visita ao Porto, estreando as nossas duas novas carrinhas, indo a alguns dos seus locais mais emblemáticos: Convento do Pilar – este em Gaia -, Ponte D. Luís, Sé Catedral e seus Claustro e Tesouro, Torre dos Clérigos (a qual subimos até ao topo – os mais resistentes, claro!), palmilhando as respectivas ruas adjacentes, belas e movimentadas. Continuámos a nossa viagem de carrinha até ao Parque da Cidade, seguindo pela zona ribeirinha e pela Foz, e, já por lá, almoçámos. Sim, almoçámos, não obstante a peripécia que nos ia deixando sem “mantimentos”! Como combinado, pela hora do almoço, vinha o Pe. Daniel, num terceiro veículo, trazer-nos o já tão ansiado repasto; mas o dito veículo não quis colaborar: depois de uns dias de aviso, lá fez o que ameaçara… deixou de andar, por problemas relativos à embraiagem! Mas, rápido e desenrascado, o Pe. João colmatou a falha, fazendo uma segunda viagem para poder ir buscar o almoço “encalhado”. No Parque da Cidade, caminhámos largamente e fizemos alguns jogos, aproveitando a frescura e a largueza de tão agradável espaço. Ao fim da tarde, regressámos todos a casa: os dezassete seminaristas, os Padres João, Ricardo e Gouveia, e o Pref. André.

A Quarta-feira foi dia de início efectivo de aulas para todas as turmas. Foi também dia de celebrarmos comunitariamente Missa Votiva do Espírito Santo, com a qual, por tradição de há muitos anos, se inicia “oficialmente” e da melhor forma o ano de actividades. Que o Espírito nos acompanhe e ilumine nas deste que começa!

» André Pereira, scj

■ Homilia do Bispo de Aveiro [+]