Há 160 anos, a 14 de Março de 1843, nascia o nosso venerado Padre Fundador, João Leão Dehon. A efeméride foi dignamente celebrada na Casa central da Congregação – a Cúria Geral e Colégio Internacional de Roma. Era Sexta-feira da Quaresma, mas o dia merecia especial solenidade sob diversos aspectos, desde os litúrgicos aos convivais. Pelo meio-dia, houve uma concelebração eucarística, presidida pelo Cardeal José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, com a participação de vários confrades, provenientes das comunidades dehonianas de Roma e de Vitorchiano e de diversos amigos do Instituto, convidados para o efeito. A liturgia celebrada foi a da
estação quaresmal, que por feliz coincidência, acenava a temas muito afins à espiritualidade do Coração de Jesus, a do amor misericordioso de Deus, que quer que o pecador se converta e viva e se torne profeta do amor e obreiro da reconciliação. Sua Eminência, na homilia proferida, desenvolveu precisamente essa temática, ligando os textos bíblicos da Liturgia da Palavra ao movimento de retorno ao amor de Deus, de que a mensagem do Coração de Jesus é forte expressão. Nesse movimento que acentua a misericórdia de Deus, o Cardeal Saraiva Martins, enquadrava a pessoa e carisma do Padre Dehon, destacando delas a singularidade da vocação: contrastada e, portanto, decidida e determinada; o primado da dimensão da espiritualidade do Coração de Jesus, que define a Congregação por ele fundada, aberta a uma pluralidade de actividades, mas unificada por esse primado da espiritualidade; a abertura à dimensão social e uma forte "romanidade", na qual Dehon exprimia a nobreza, inteligência e sensibilidade do seu carácter. À celebração eucarística seguiu a bênção de uma estátua do Coração de Jesus, estátua cheia de história na vida da Casa (Roma I e II) e que foi colocada no átrio de entrada, num artístico enquadramento preparado por um arquitecto da capital. Foi como que o remate dos trabalhos de restruturação da Casa Central da Congregação. A celebração religiosa teve a sua continuidade num almoço de confraternização. O dia foi encerrado com um convício comunitário, depois da ceia, em que tomaram parte os componentes da Cúria Geral e do Colégio Internacional. Sua Ex.cia Mons. Andreas Henriosanta, Bispo de Tanjungkarang, na Indonésia, nosso hóspede em Visita ad Limina Apostolorum, deu um cunho particular às celebrações deste dia, exprimindo com a sua presença o mundo missionário da Congregação e a área asiática, onde a mesma promete ter um grande futuro.

| João Chaves, scj |