Seminário Nª Srª de Fátima em Festa

Os dias 16 e 17 de Setembro de 2005 foram de grande alegria no Seminário Nossa Senhora de Fátima. No primeiro foram 9 jovens religiosos que renovaram os seus votos anuais de castidade, pobreza e obediência e no segundo foram dois jovens – Paulo Renato e Ricardo José – que fizeram a Profissão Perpétua.
A semana havia sido integralmente preenchida com o Retiro Anual, que juntou os referidos jovens religiosos, outros membros da comunidade e confrades de diversas comunidades. O retiro foi orientado pelo Pe. Agostinho Leal, OCD.
As celebrações foram ambas presididas pelo Superior Provincial, que recordou a uns e a outros que a consagração religiosa é um caminho que se renova quotidianamente, um processo inacabado, que se vive na fidelidade ao Evangelho e ao Carisma que nos é próprio. Reportando-se à Palavra de Deus e às nossas Constituições, o Pe. Manuel Barbosa lembrou-nos que a nossa consagração requer a nossa entrega total a Deus e aos irmãos, alimentada por uma profunda vida de oração e pela vida fraterna, que nos alimentam e tornam disponíveis para a Missão.
O destaque maior foi, naturalmente, para a Profissão Perpétua. Estavam presentes confrades de várias comunidades, as famílias do Paulo Renato e do Ricardo e muitos amigos, sobretudo jovens, nomeadamente o grupo que participou na recente Jornada Mundial da Juventude, na Alemanha. Foi bonita, a festa! A celebração foi intensamente vivida, com os dois candidatos a assumir a sua consagração ao Senhor para toda a vida. Estendeu-se depois a festa até à noite, num alegre a fraterno convívio que nos juntou à volta da mesa, depois da reunião à volta da mesa do Senhor. Nos “discursos” da praxe, ao partir o bolo, os dois Neo-Perpétuos confiaram-se à nossa oração e à nossa comunhão fraterna para poderem ser fiéis à sua consagração e à Missão que o Senhor lhes confia; são estas, afinal, que dão sentido à nossa vida de consagrados.
Ao terminar as celebrações a vontade geral era a de louvar e agradecer ao Senhor por continuar a conceder-nos tão grandes dons!
Fortificados por estes acontecimentos, é com renovado entusiasmo que arrancamos para mais um ano de actividade.

| José Agostinho, scj |

8 novos neo-professos dehonianos

No dia 18 de Setembro realizou-se a Primeira Profissão de oito jovens que terminaram o seu noviciado na Casa do Sagrado Coração de Jesus, em Aveiro. A cerimónia decorreu durante a celebração da Eucaristia na igreja paroquial de Esgueira.
Presidiu o Superior Provincial, Pe. Manuel Barbosa, rodeado por um bom grupo de confrades, sacerdotes e religiosos, vindos de diversas comunidades da Província, dos familiares dos professantes, e de muitos amigos e benfeitores.
O grupo de noviços, com alguns jovens religiosos, acompanhados ao órgão pelo Pe. Roberto Viana, e sob a direcção do Pe. Fernando Fonseca, animaram os cânticos. O Pe. António Correia orientou a liturgia.
Depois da leitura do Evangelho, o Mestre de Noviços, Pe. Fernando Fonseca, chamou e apresentou os candidatos, que pediram a admissão à profissão religiosa. Seguiu-se a homilia em que o Superior Provincial lembrou palavras de João Paulo II aos Consagrados: «Permanecei sempre disponíveis, fiéis a Cristo, à Igreja, ao vosso Instituto, e ao homem do nosso tempo. Deste modo, sereis renovados por Ele, dia após dia, para construir com o seu Espírito comunidades fraternas, para com Ele lavar os pés aos pobres e dar a vossa insubstituível contribuição para a transfiguração do mundo» (VC 110). Depois de comentar as leituras escolhidas para a celebração, terminou recordando palavras do Pe. Dehon: «A vocação religiosa é uma grande graça, é manifestação de uma escolha, de uma preferência de Nosso Senhor… Professar é consagrar-se totalmente a Deus, sem divisões nem reservas, é assumir a obrigação de seguir Jesus Cristo através da prática dos conselhos evangélicos… A máxima preferida dos SCJ é o «Ecce venio» que deverá encontrar-se sempre nos seus lábios e, sobretudo, nos seus corações» (Directório Espiritual).
Terminada a homilia, a cerimónia prosseguiu atingindo o seu ponto alto quando os candidatos, um a um, pronunciaram a fórmula da profissão religiosa e o acto de oblação. Entregue a cruz dehoniana e a Regra de Vida, a celebração eucarística continuou como é habitual. Antes da bênção final, os neo-professos fizeram a sua consagração a Nossa Senhora, entregando-Lhe também uma rosa branca.
A festa prosseguiu em casa com uma refeição fraterna em que participaram os pais e familiares dos professos com alguns amigos e benfeitores.
Dos novos religiosos, seis são do norte do país, um é dos Açores, e outro é da Madeira.
Estamos gratos ao Senhor por estes dons à Congregação e à Igreja.

| Fernando Fonseca, scj |

Noviciado: encontro com os pais dos noviços

No domingo, dia 4 de Setembro, realizou-se o primeiro encontro com os pais dos 10 jovens que, a 10 de Agosto entraram no noviciado. Vieram os pais de oito jovens, os naturais do Continente. Compreensivelmente não puderam estar os pais dos dois jovens madeirenses. Mas o mestre pôde encontrá-los durante uma recente viagem à Madeira.

Os pais chegaram pelas 10:30 horas. Pelas 11:00 horas, celebrou-se a Eucaristia, com uma homilia adequada à circunstância. Seguiu-se o almoço, oferecido pela casa, mas onde todos puderam partilhar das muitas coisas boas que os pais trouxeram.

Pelas 15:00, foi projectado um vídeo, preparado pelos noviços, sobre o noviciado e sobre a vida e actividades do mesmo. Seguiu-se um período de perguntas e respostas, e uma conversa do mestre sobre os objectivos, os conteúdos e os meios de formação no noviciado e sobre outros assuntos de interesse para os pais.

Pelas 17:00, houve um momento de oração mariana, seguida de merenda. Depois, uns após os outros, os pais foram-se despedindo e regressando às suas casas, certamente mais elucidados sobre a experiência que os filhos estão a fazer, e mais comprometidos a colaborar nela, o que é cada vez mais importante em toda a pastoral vocacional e na formação para a vida religiosa.

| Fernando Fonseca, scj |