Print Friendly, PDF & Email

No dia 18 de Setembro realizou-se a Primeira Profissão de oito jovens que terminaram o seu noviciado na Casa do Sagrado Coração de Jesus, em Aveiro. A cerimónia decorreu durante a celebração da Eucaristia na igreja paroquial de Esgueira.
Presidiu o Superior Provincial, Pe. Manuel Barbosa, rodeado por um bom grupo de confrades, sacerdotes e religiosos, vindos de diversas comunidades da Província, dos familiares dos professantes, e de muitos amigos e benfeitores.
O grupo de noviços, com alguns jovens religiosos, acompanhados ao órgão pelo Pe. Roberto Viana, e sob a direcção do Pe. Fernando Fonseca, animaram os cânticos. O Pe. António Correia orientou a liturgia.
Depois da leitura do Evangelho, o Mestre de Noviços, Pe. Fernando Fonseca, chamou e apresentou os candidatos, que pediram a admissão à profissão religiosa. Seguiu-se a homilia em que o Superior Provincial lembrou palavras de João Paulo II aos Consagrados: «Permanecei sempre disponíveis, fiéis a Cristo, à Igreja, ao vosso Instituto, e ao homem do nosso tempo. Deste modo, sereis renovados por Ele, dia após dia, para construir com o seu Espírito comunidades fraternas, para com Ele lavar os pés aos pobres e dar a vossa insubstituível contribuição para a transfiguração do mundo» (VC 110). Depois de comentar as leituras escolhidas para a celebração, terminou recordando palavras do Pe. Dehon: «A vocação religiosa é uma grande graça, é manifestação de uma escolha, de uma preferência de Nosso Senhor… Professar é consagrar-se totalmente a Deus, sem divisões nem reservas, é assumir a obrigação de seguir Jesus Cristo através da prática dos conselhos evangélicos… A máxima preferida dos SCJ é o «Ecce venio» que deverá encontrar-se sempre nos seus lábios e, sobretudo, nos seus corações» (Directório Espiritual).
Terminada a homilia, a cerimónia prosseguiu atingindo o seu ponto alto quando os candidatos, um a um, pronunciaram a fórmula da profissão religiosa e o acto de oblação. Entregue a cruz dehoniana e a Regra de Vida, a celebração eucarística continuou como é habitual. Antes da bênção final, os neo-professos fizeram a sua consagração a Nossa Senhora, entregando-Lhe também uma rosa branca.
A festa prosseguiu em casa com uma refeição fraterna em que participaram os pais e familiares dos professos com alguns amigos e benfeitores.
Dos novos religiosos, seis são do norte do país, um é dos Açores, e outro é da Madeira.
Estamos gratos ao Senhor por estes dons à Congregação e à Igreja.

| Fernando Fonseca, scj |