Print Friendly, PDF & Email

No passado dia 25 de Abril, reunidos na Casa do Sagrado Coração, em Aveiro, 9 dos onze Dehonianos com menos de dez anos de Profissão Perpétua criaram um dia de encontro, partilha de vida, reflexão e oração. 

Depois do louvor da manhã, o Padre Joaquim Martins – Pároco de Santo de André de Esgueira – presenteou-nos com o seu precioso testemunho, de como vive, constrói e conduz uma "Comunidade de Fé". Já conhecido de todos os presentes, o Padre Martins percorreu, emocionado, a sua história de vida "entheosiasmada" destacando grandes "paixões" do seu tempo de pastor: o cuidado com a catequese e o cuidado com a comunicação da Palavra. Escutámos com agrado o que a Comunidade Paroquial de Esgueira vai ensaiando em tempos que desafiam cada vez mais a nossa criatividade e a qualidade do nosso ministério, como sendo: 

– o projecto que funciona há oito anos de fazer catequese com as crianças e os pais; 

– a orientação dos jovens a compromissos com vários sectores da vida paroquial; 

– a tarefa diária de ser cada vez mais um pastor preparado e próximo de todos, com palavras e gestos relevantes e interpelantes, reveladores de uma "Boa Notícia" que nos garante cada dia razões para vivermos em verdadeira alegria.

Na celebração da Eucaristia, o Padre Nuno Rocha – o último Dehoniano ordenado Presbítero até à data – desafiava-nos à humildade, à esperança e à alegria.

Depois do almoço, gentil e cordialmente preparado pela Comunidade da Casa do Sagrado Coração, seguiu-se um tempo de partilha de vida, tempo de importância central nesta dinâmica de formação permanente. Dialogámos sobre o que somos, como vivemos e o que esperamos. O Superior Provincial, presente todo o tempo, concluiu a sessão com um tempo de diálogo franco e fraterno sobre a vida da Província.

Encerrámos o dia adorando o Deus que se faz próximo, que se faz pão, e que nos desafia à proximidade e ao dom, no mundo que Ele cria, ama e salva. 

O grupo de confrades Sub-10 voltará a encontrar-se nos dias 20 de Dezembro de 2013 e 14 de Abril de 2014.

Satisfeitos por termos vivido um verdadeiro dia de encontro de irmãos, deixamos uma palavra de agradecimento à Comunidade de Aveiro que tão bem nos acolheu, bem como aos confrades que nas nossas Comunidades possibilitaram a disponibilidade de todos os participantes.

 

António Pedro, scj