No ano em que a Festa de Apóstolo S. Tiago (25 de Julho) coincide com um Domingo, esse ano é considerado “Ano Santo Jacobeo” na catedral de Santiago de Compostela. O “Ano Santo Jacobeo” remonta 1122 e foi instituído pelo Papa Calisto II, dando confirmação oficial às numerosas peregrinações que se realizavam a Santiago de Compostela desde 844, quando o rei Ramiro das Astúrias enfrentou as tropas muçulmanas em inferioridade numérica. Segundo a lenda, em plena batalha aparece o Apóstolo S. Tiago montado num cavalo branco e pôs-se a lutar ao lado dos cristãos que saíram vencedores. São milhares as pessoas que se metem a fazer o Caminho de Santiago a pé, de bicicleta ou a cavalo, recebendo no final um diploma de reconhecimento. A concha é o distintivo do peregrino (para outras informações consultar: www.xacobeo.es/comezo.asp?idioma=portugues ).
Ontem, 24 de Maio, todos os membros da comunidade do Centro Dehoniano meteram-se à estrada, e, quais peregrinos modernos, dirigiram-se de automóvel para Santiago de Compostela. O dia, no Porto, não estava nada convidativo. Depois de uma tormentosa noite de trovoada e chuva, a manhã apresentava-se ameaçadora. Mas à medida que nos afastávamos do Porto o tempo melhorava e sorria. A primeira paragem foi em Viana do Castelo. Depois de uma passagem pelo centro histórico subimos ao Monte Santa Luzia. Em Caminha tomámos o café nas margens do rio Minho. Pouco passava do meio-dia quando, sob um sol abrasador, chegámos a Santiago. Era grande a azáfama de peregrinos vindos de diversas partes e línguas. Juntámo-nos a eles para, na catedral, cumprir as tradições do Ano Santo Jacobeo. Seguiu-se o almoço galego e um digestivo passeio pela cidade. Calcorreando as ruas, podemos ainda saborear uns pedacitos da famosa “tarta de almendra” que gentilmente nos era oferecida às portas dos estabelecimentos… A meio da tarde empreendemos a viagem de regresso ao Porto, tendo novamente a chuva por companhia.

| Zeferino Policarpo, scj |