No passado dia 11 de Setembro alguns membros da comunidade religiosa do Centro Dehoniano, juntamente com o postulante e os pré-postulantes, aproveitaram um dos últimos dias de férias para dar um passeio por terras do Norte para conhecer alguns pontos de interesse da Rota do Românico e de outras rotas mais tardias.

Saímos por volta das dez horas em direção a Amarante e fizemos a nossa primeira paragem na Igreja de São Gonçalo. Tivemos oportunidade de contemplar essa bela Igreja do século XVII construída em honra do santo Dominicano. Visitámos o claustro e a famosa sacristia onde, segundo reza a lenda, se dirigiam as senhoras solteiras para puxarem o cíngulo do santo com o objetivo de arranjar miraculosamente um marido. Mas esta não é a única lenda presente nessa igreja pois também existe ainda a antiga devoção de oferecer cravos (flores) a S. Gonçalo para perder as verrugas das mãos…

Depois de uma breve pausa para café, seguimos para o monte de Santa Quitéria em Felgueiras. Lá no alto pudemos visitar uma pequena capela dedicada a esta mártir que terá sido degolada pelo seu marido por causa da sua fé.

Após o almoço seguimos para a nossa terceira paragem: o Mosteiro de Santa Maria do Pombeiro, que era desconhecido por quase todos os membros do grupo. Fomos recebidos à porta do mosteiro não pelo abade mas pelo segurança que, para nosso espanto, foi também o nosso guia. Visitámos a igreja (que é atualmente a igreja paroquial) e o que resta do mosteiro. Aprendemos muitos pormenores sobre o mosteiro e tivemos a oportunidade de elucidar  com muitos outros pormenores, quem nos acompanhava.

Infelizmente, por falta de manutenção e devido às vicissitudes da história, grande parte do mosteiro de Santa Maria do Pombeiro já não existe, reconhecendo-se apenas alguns traços do seu antigo esplendor.

A caminho de casa, tivemos ainda tempo para fazer uma breve paragem no Monte da Penha. Visitámos o Santuário, vimos Guimarães de longe e também a chuva que se aproximava rapidamente de nós. Depois de termos descido o monte por entre Penedos e densa vegetação, regressámos a casa.

Concluímos o dia com a celebração eucarística em comunidade.

 

João Nélio, scj