Print Friendly, PDF & Email

Estes dois dias de trabalho continuaram nos moldes do primeiro, com a reflexão e partilha à volta da Carta Programática do Governo Geral, apresentada rotativamente pelo Superior Geral, Conselheiros, Secretário e Ecónomo. As partilhas têm sido serenas e muito enriquecedoras, versando os diferentes temas do documento e analisando os diversos sectores da vida e atividade pastoral da Congregação.

O dia em assembleia começou com muita emoção, com vídeos quase em direto a dar conta do ataque bárbaro a uma das nossas igrejas na cidade de Valdivia, no Sul do Chile. Os assaltantes entraram, partiram imagens, trouxeram os bancos cá para fora e pegaram-lhes fogo, e tentaram incendiar a igreja; tudo isto na presença dos nossos missionários que estavam na igreja e na residência contígua, felizmente ajudados pelo povo que acorreu ao tocar a rebate dos sinos. O mundo está a tornar-se um lugar perigoso para viver…

A tarde deste dia era livre! E foi para alguns, que aproveitaram para uma passeata por Roma. Para mim foi uma tarde de reuniões: com o Superior Geral, com o Ecónomo Geral, com o Superior Provincial de Moçambique… em cheio!

O dia terminou da melhor forma, de novo com muita emoção, mas esta provocada pela gratidão e pela beleza da celebração em que participámos. À hora marcada chegou o autocarro, que nos levou até à Basílica de São Bartolomeu, situada numa Ilha no Tibre, escolhida como Santuário dos novos Mártires do século XX, e que está à responsabilidade da Comunidade de Santo Egídio. Visitámos a igreja, onde se encontram diversas relíquias e referências a santos Mártires nossos contemporâneos, e depois rezámos com a comunidade e muitos amigos, agradecendo a força, a coragem e o exemplo destes santos que tantos nos inspiram. Deixámos na igreja uma relíquia do Beato Juan Maria de La Cruz e a carta/pedido do P. Martino Capelli para a Primeira Profissão. O primeiro foi Mártir em Valência durante a Guerra Civil de Espanha, o segundo na II Guerra Mundial, nos arredores de Bolonha. Ambos passam a fazer parte da “galeria” dos santos daquele lugar de peregrinação, de encontro e de oração.

À celebração seguiu-se um jantar/convívio com a Comunidade anfitriã, oportunidade para conhecer melhor esta instituição incansável na busca da paz e da justiça no mundo.

P. José Agostinho Sousa