O Convento de Nossa Senhora de Balsamão, situado no nordeste transmontano (Macedo de Cavaleiros), Diocese de Bragança, foi o local escolhido pelas equipas formadoras do Centro Dehoniano e do Seminário de Alfragide para dar o “pontapé de saída” para mais um ano letivo e pastoral.

Conhecido como Centro de Espiritualidade e Evangelização, Balsamão, localizado na freguesia de Chacim, ofereceu ao grupo da formação inicial e seus formadores o ambiente propício de reflexão, meditação, oração e convívio.

No dia 10 iniciámos o nosso passeio visitando a sempre mui nobre cidade invicta onde éramos esperados pelos nossos confrades, postulantes e pré-postulantes. Para além do almoço, aproveitámos o ensejo para visitar a Casa da Música e, por cortesia, os confrades residentes no polo residencial da paróquia de Nossa Senhora da Boavista. Nessa mesma tarde partimos para Balsamão, onde celebrámos a Eucaristia, jogámos às cartas, contemplámos as estrelas e fizemos uma serenata orientada pelo Padre Manuel Barbosa.

No dia 11, da parte da manhã, orientada pelo Superior da Comunidade de Alfragide, refletimos sobre o Ano da Fé proposto pelo Papa Bento XVI. Partindo da Carta Apostólica “Porta da Fé”, passámos em revista as cartas pastorais do Cardeal Patriarca, D. José Policarpo, e do Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, para este ano pastoral. Este momento culminou com a celebração da Eucaristia. Na parte datarde, aproveitámos o calor e rumámos até à capital de Distrito, Bragança, onde visitámos vários monumentos de cariz religioso e cultural. O fim da tarde foi dedicado aos banhos na Praia do Azibo, em Macedo de Cavaleiros.

No dia 12, cada comunidade reuniu-se a fim de preparar o seu ano pastoral e comunitário. No final partimos para mais uma excelente visita histórica e cultural. Visitámos a Sé de Miranda do Douro, comtemplámos o magnífico caudal do Rio Douro, degustámos uma saborosa posta mirandesa, dissemos adeus à nossa vizinha Espanha e partimos, entre curvas e contra-curvas, até Mirandela. Nessa noite, com a simpática colaboração do Padre Basileu Pires, visitámos e aprofundámos os nossos conhecimentos sobre o carisma dos Marianos da Imaculada Conceição, sobre a história do convento de Balsamão e, como não podia deixar de ser, sobre ocontexto histórico daquele, como lhe chamou o Bispo Emérito de Bragança, “Pulmão Espiritual”.

Na certeza de que estes dias foram frutuosos e de uma riqueza incalculável quer do ponto de vista religioso quer do ponto de vista cultural, partimos na manhã do dia 13, repletos de esperança e confiança para este ano pastoral.

Tiago Pereira, scj