É com surpresa e consternação que recebo a notícia do falecimento inesperado do Padre August Hülsmann, nos seus 73 anos de idade.

Tive muitas ocasiões de estar e privar com ele durante largos anos, quer ao nível da Congregação, em encontros de provinciais da Europa e de toda a Congregação, quer ao nível da vida religiosa na Europa, no organismo de que foi presidente e eu vice-presidente, a UCESM (União das Conferências Europeias de Superiores e Superioras Maiores). Com ele percorri quase todos os países da Europa, sobretudo os de Leste com todo o seu fascínio, em assembleias gerais e em reuniões de trabalho da direção deste organismo.

Em tudo ele permaneceu como homem de bondade e simplicidade, delicado, generoso e atencioso, competente e bem preparado nas várias tarefas, feliz e fiel na vida que abraçou como sacerdote do Coração de Jesus. Era um homem agradecido pela vida e pelas pessoas com quem estava. Lembro-me que os agradecimentos que fazia no final de qualquer evento não eram uma mera formalidade, mas cuidava ao pormenor e com carinho de todos os que referia, seja os presentes seja os que estavam nos bastidores. Não excluía nem fazia aceção de ninguém. Isso acontecia em encontros mais quotidianos como em encontros a nível geral da vida religiosa na Europa e nas instâncias do Vaticano, incluindo o Papa.

O Padre August tinha um carinho especial pela Província Portuguesa e por Portugal. Vinha com gosto aos encontros da Congregação e aos encontros a nível da UCESM realizados no nosso país. Não dispensava uns bons mergulhos no mar, mesmo em tempo de inverno. Levou todo o encanto da Madeira no último encontro que aí realizámos como direção da UCESM.

Esse carinho teve expressão muito concreta no relevante apoio financeiro que, através dele, a Província Alemã concedeu à reconstrução do Seminário de Alfragide e do Centro Dehoniano, sem esquecer, logo a seguir, o financiamento de toda a reconstrução da casa da Missão de Luau, em Angola, missão liderada na altura pela Província Portuguesa. Um homem que permanecerá certamente na memória agradecida da nossa Província.

Que o seu exemplo de homem bom e generoso e de religioso segundo o Coração de Jesus com renovado sentido pastoral e intensa vida espiritual seja inspirador para todos nós, que o temos agora como eterno intercessor junto do Pai.

Muito obrigado, Padre August Hülsmann!

Manuel Barbosa, scj
15 de setembro de 2021