Print Friendly, PDF & Email

Decorreu nos passados dias 22/24 de Novembro no Seminário em Alfragide o XII Encontro Internacional de Voluntariado. Contou com a presença de jovens portugueses, provenientes de Lisboa, da Madeira e do Porto; da Espanha; da Itália; da Alemanha e da França, num total de oito dezenas de participantes.

Independentemente dos idiomas e culturas, unidos no mesmo ideal, o idioma de Cristo, o gosto e a alegria de anunciar o Evangelho por terras Europeias, Africanas e Americanas. Contamos com a presença de D. José Ornelas, bispo de Setúbal e, quando era Superior Geral da Congregação impulsionador deste projeto. Lançou o desafio de sermos “vinho novo”, não termos medo da missão e sermos Igreja missionária de Cristo.

Houve a possibilidade se partilhar um pouco dos projetos de voluntariado realizados este ano na Albânia, Angola, Paraguai, Equador e Moçambique. E foi num clima de entusiasmo que os participantes receberam a informação que as próximas missões de voluntariado serão nas Filipinas (2020), Argentina (2020) e Brasil (2021), falou-se da possibilidade de Madagáscar, ficando a ideia no ar…

Da parte da tarde fizemos uma visita panorâmica ao santuário da outra margem do Tejo, contemplando a sempre bela Lisboa, assim como a grandeza arquitectónica da imagem de Cristo Rei, que sendo véspera da solenidade mais sensibilizou os participantes. Celebrámos missa na comunidade de Santo André do Barreiro, onde em clima de festa e muita alegria a comunidade local nos recebeu e nos proporcionou um jantar magnífico e “bonissimo”, como tanto repetiam os jovens italianos. No final do dia visitámos Lisboa “By Night”, percorrendo as ruas de Lisboa, para um grande número de participantes pela primeira vez.

No Domingo tivemos a exposição organizacional dos projetos para o próximo ano, com todas as informações para quem tem no horizonte uma experiência missionária a curto prazo.

Concluímos o nosso encontro celebrando a missa presidida pelo Superior Provincial, P. José Agostinho, e orientada no canto pelo coro guineense de Lisboa, que nos fez reviver África, com os belos cantos e danças.

Marca este encontro a alegria, a boa disposição e o convite a ir ao encontro daqueles que por vezes com um simples gesto e ou palavra conhecerão a Cristo.

P. Igor André Oliveira, SCJ