Print Friendly, PDF & Email

Foi no dia 24, sábado, que a comunidade educativa do Colégio Infante D. Henrique abriu oficialmente o novo ano escolar. As actividades escolares, porém, começaram há mais tempo.

Quem lhes deu início foram as crianças do pré-escolar: há quinze dias.

Chegaram, algumas com sono e outras acanhadas, umas agarradas aos pais e duas de lágrimas nos olhos, lágrimas que se transformaram em choro.

Aos poucos a alegria dos gritos da pequenada – as crianças não falam – acordou o velho edifício, triste e deixado sozinho durante todo o mês de Agosto. As choronas foram vencidas pela vivacidade do grupo.

As aulas propriamente ditas tiveram início no dia 19. Como de costume, as primeiras crianças a chegar – ainda era noite – foram as dos primeiros anos. Vinham acompanhadas pelos pais carregados de material escolar e de sonhos: um novo passo de uma longa e feliz caminhada. Chegaram ainda antes do pessoal auxiliar e docente.

Aos poucos, o corredorfoi-se enchendo de corridas e de gritos, de cumprimentos, abraços e beijos à espera que alguém abrisse as respetivas salas. Isto no Primeiro Ciclo.

No Segundo e Terceiro Ciclos havia mais calma e pouca pressa. Chegaram mais tarde… o trabalho não foge… Os pais ficaram à porta – os do quinto ano subiram à sala dos filhos.

Estes, feito o encontro da manhã, em que se deram as boas vindas e foram apresentados votos de um feliz ano escolar, subiram para o seu espaço de trabalho. E, para não arrefecer, tiveram a primeira aula do ano às 9 horas.

Os cumprimentos e recomendações no Primeiro Ciclo demoraram mais. Os pais estiveram nas salas, arrumaram livros e cadernos, deram os últimos conselhos, algumas disfarçadas lágrimas… Saíram e começou um novo ano escolar.

Após a apresentação, feita por cada criança aos seus colegas e à sua professora, as crianças do primeiro ano subiram até ao portão norte, de onde partem os carreiros. Subiram para cumprir a tradição. Então é que foi!

Junto à entrada do Colégio, debaixo do velho carvalho, de máquina fotográfica em punho – alguns usavam o telemóvel – os pais registavam para a posteridade a primeira viagem de corsa da sua criança e o seu primeiro dia de escola.

A corrida, entre gritos de satisfação e de nervosismo, terminava na entrada principal e solene do que fora o Grande Hotel Belmonte. Aqui, a criança era recebida com pompa e circunstância por uma das funcionárias.

– Tiveste medo?

– Foi bom!

Esta primeira semana foi para preparar a solene abertura do ano escolar.

Os alunos foram desafiados para o desenho da capa do anuário e surgiram muitos. Difícil escolher o quemelhor respeitasse o lema proposto.

Na sexta-feira tudo pronto: anuário, caderneta escolar e regulamento interno, bem como as jarras para ornamentar o altar da celebração eucarística, com que se daria início a abertura do novo ano escolar.

Às 16h00 reuniu-se a comunidade escolar no velhinho pavilhão.

Os três padres da comunidade, membros da Direção do Colégio, iniciaram o encontro com a celebração da Eucaristia, este ano presidida pelo Pe. Ferdinando de Freitas.

Após a celebração da missa, o Director dirigiu a palavra à assembleia. Voltou a lembrar o lema que norteará a comunidade escolar ao longo deste ano: Comunidade de todos, com todos e para todos. Lema que é uma síntese do tema do ano internacional, da Europa e da Província.

Recordou os investimentos feitos para o novo ano escolar: duas salas de informática, sala de recreio para o pré-escolar, recuperação muro e recreio do primeiro ciclo junto ao Caminho do Monte e renovação do telhado que cobre a laboratório de Físico-Química.

Por fim falou o Presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação, o Sr. Eugénio Andrade, para saudar os pais e encarregados de educação, exortar os alunos e agradecer o bom trabalho do Colégio.

Antes de regressar a casa, os pais das crianças do primeiro ciclo estiveram com os directores de turmapara algumas recomendações e informações. E receberam o anuário.

Os pais dos alunos do Segundo e Terceiro Ciclos subiram à sala dos seus filhos para que o Director de Turma entregasse o respetivo anuário.

Depois desta maratona toda, docentes e pessoal auxiliar reuniram-se na sala de professores para um breve convívio…

Ferdinando Freitas, scj