Print Friendly, PDF & Email

De 20 a 23 de Fevereiro, os noviços recolheram-se em retiro espiritual, orientados pelo Pe. João Nélio, SCJ. Este retiro tem particular importância, porque a caminhada do noviciado está sensivelmente a meio e porque se aproxima a Quaresma, que queremos viver com particular intensidade.

Recuando um pouco no tempo, lembramos que os noviços também participaram no curso nacional realizado em Fátima de 3 a 6 de Janeiro sobre «Discernimento espiritual e formação da consciência», orientado pelo Pe. Nuno Tovar de Lemos, SJ, e destinado aos noviços e noviças de Portugal.

No dia 8, Solenidade da Epifania do Senhor, realizou-se o segundo encontro com os pais e familiares dos noviços. Houve Eucaristia solene, almoço, com partilha de especialidades gastronómicas natalícias, apresentação da vida do noviciado nos últimos meses, com muitas imagens em powerpoint, e um diálogo informal com o mestre. À tarde, depois de uns momentos de oração, seguiu-se a merenda, onde continuou a partilha do almoço. Ao cair da noite, os pais e familiares regressaram a suas casas.

No dia 23, juntaram-se a nós vários confrades das comunidades mais próximas para a celebração do aniversário natalício do nosso ecónomo, Pe. Sérgio Filippi.

A semana de oração pela unidade da Igreja teve o seu momento mais forte na participação na vigília ecuménica de oração, realizada na Igreja da Vera Cruz.

O Dia do Consagrado foi assinalado com a nossa participação numa vigília der oração, cuja organização nos foi confiada, com a nossa colaboração e participação numa exposição e colóquio sobre as Congregações religiosas e Institutos Seculares presentes na diocese, realizada no edifício Aveiro-Digital, bem como com a participação na Eucaristia presidida pelo nosso Bispo, D. António Marcelino, na Igreja da Misericórdia.

No dia 1 de Fevereiro, os religiosos da comunidade e os noviços, associaram-se a uma Eucaristia e a um jantar comemorativos dos 25 anos da chegada de D. António Marcelino à diocese.

Entretanto, o noviciado prossegue com seu ritmo normal. Teremos sempre muito gosto em receber visitas de confrades que queiram descansar um pouco e participar em alguns momentos da nossa vida.

Estamos também disponíveis para acolher algum jovem, que nos queiram enviar, para experimentar a nossa forma de vida, durante um ou mais dias. Vamos a isso?

 

| Fernando Fonseca, scj |