Print Friendly, PDF & Email

Pe. José Gil Ormonde Coelho                                                                          

 31 de Maio de 2013

 

Caros confrades

Depois de uma primeira comunicação feita às comunidades por hora do almoço, venho prestar informações complementares relativas ao falecimento do nosso querido confrade, Pe. José Gil Ormonde Coelho.

O Pe. Gil, apesar das maleitas que de que vez em quando o incomodavam, estava aparentemente bem de saúde. Ontem à tarde eu tinha estado com ele. Há cerca de dois anos o Pe. Gil tinha-me pedido para deixar a paróquia, pois ao chegar aos 70 anos (completaria no próximo dia 11 de Agosto), já não se sentia com forças para estar à frente de uma paróquia. Nos últimos meses conversámos algumas vezes, procurando discernir um lugar onde se sentisse bem e pudesse dar uma colaboração na medida das suas forças. O Algarve era a hipótese que ultimamente estava a ser considerada e ele sentia-se entusiasmado com a ideia. Ontem à noite e hoje de manhã, na comunidade terá gracejado com o seu futuro e fazia lindos projectos…

Ontem falámos também da sua numerosa colecção de presépios (quase 500) que ele queria deixar à Província quando saísse do Forte da Casa e do modo como essa colecção podia ficar organizada e exposta no Seminário de Nossa Senhora de Fátima. Lindos projectos…

Um dos seus paroquianos que o admirava bastante – o Sr. João – no ano passado pela festa do Corpo de Deus (fazia ontem um ano) tinha pedido ao Pe. Gil para gravar as suas homilias dominicais durante um ano, para, a partir delas, publicar um livro… Ontem ele o Sr. João falaram-me que esse livro seria apresentado por altura da Festa do Padroeiro da Paróquia – O Coração de Jesus (próximo fim-de-semana). Lindos projectos…

Ontem falámos também da Festa do Coração de Jesus que o Pe. Gil organizava com tanto zelo e entusiasmo. Ao nível das comunidades de Lisboa estava previsto que na próxima sexta-feira – Solenidade do Coração de Jesus – nos juntássemos na Paróquia do Forte da Casa para a celebração eucarística às 12h30, presidida por D. Nuno Brás, seguindo-se o almoço. Lindos projectos…

Esta manhã saíu com dois senhores que ajudam bastante na Paróquia, o Sr. Horácio e o Sr. Mário Rocha, seus amigos. Foram a Vila Franca de Xira fazer compras para os serviços da Paróquia. Um deles conduzia. Um percurso animado, fraterno, conversador. De regresso o Pe. Gil, que vinha ao lado do condutor, repentinamente sentiu-se mal. Num ápice transportaram-no ao hospital de Vila Franca, ali muito próximo, onde ainda chegou com vida. Foram feitas tentativas de reanimação, mas já nada havia a fazer…

E assim partiu o nosso confrade tão cheio de entusiasmo, de zelo, de dedicação… Um confrade que punha o coração em tudo o que fazia. Esse mesmo coração deixou de funcionar e o Pe. Gil deixou o nosso convívio nesta dia dedicada à Senhora da Visitação… PAZ À SUA ALMA.

O seu corpo estará na Igreja do Forte da Casa, hoje a partir das 19h00. À noite, pelas 21h30, será celebrada missa pelo descanso eterno do Pe. Gil. Convido os confrades da zona de Lisboa a estarem presentes nesta celebração. 

Amanhã, às 15h00, D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar do Patriarcado, presidirá à Missa das Exéquias a que se seguirá o funeral para o cemitério da Póvoa de Santa Iria. Convido igualmente todos os confrades que puderem a estarem presentes nesta última despedida ao nosso confrade.

Conforme prescreve o Directório Provincial, recomendo que se façam os devidos sufrágios: Assim, ao falecer um religioso ou noviço da Província, cada comunidade reúne-se em Celebração Eucarística, para sufragar, com intenção especial, o confrade falecido. O mesmo fará cada sacerdote numa outra Eucaristia, que venha a celebrar nesses dias. Os religiosos não sacerdotes recomendá-lo-ão, de modo muito particular, nas suas orações”  (DP 63 §2).

Ao irmão, à cunhada e ao sobrinho do Pe. Gil apresento os meus pêsames.

Que o Senhor renove a nossa Fé na Vida e na Ressurreição e fortaleça a nossa Esperança. Que Maria seja o nosso conforte nesta hora de dor e de luto.

Que o Pai Misericordioso acolha na sua presença este nosso querido confrade, Pe. Gil Ormonde, e lhe faça saborear os lindos projectos de Vida e de Paz reservados para aqueles que O servem, Lhe são fiéis e O amam enquanto fazem a sua peregrinação neste mundo.

No Coração de Jesus,

 

 

Pe. Zeferino Policarpo, scj

superior provincial

 

 

 

 

 

Pe. José Gil Ormonde Coelho

 

nasceu a 11 de Agosto de 1943

 faleceu a 31 de Maio de 2013

 

 

Irmãos, não queremos deixar-vos na ignorância a respeito daqueles que faleceram, para não andardes tristes como os outros, que não têm esperança. De facto, se acreditamos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus reunirá com Jesus os que em Jesus adormeceram.

 

1Ts 4, 13-14

 

 

O Pe. José Gil Ormonde Coelho, filho de Norival Coelho Gil e de Belmira Correia Ormonde, nasceu a 11 de Agosto de 1943, na freguesia de Raminho, Terceira, Açores. Foi baptizado a 29 de Agosto de 1943, em Raminho, diocese de Angra do Heroísmo e Crismado a 17 de Maio de 1964 na Sé do Funchal.

Entrou no Colégio Missionário Sagrado Coração em Outubro de 1962. Frequentou o Instituto Missionário Sagrado Coração, em Coimbra, de 1964 a 1968. A 28 de Setembro de 1968 entrou no Noviciado, em Aveiro. Emitiu a Profissão Religiosa a 29 de Setembro de 1969, na Casa do Sagrado Coração. De 1971 a 1973 fez o Estágio de Vida Religiosa no Seminário Missionário Padre Dehon (Fânzeres). Fez a Profissão Perpétua a 29 de Setembro de 1974, no Seminário Nossa Senhora de Fátima. Foi ordenado diácono na Paróquia de Olivais-Sul a 8 de Dezembro de 1976 e Presbítero a 31 de Julho de 1977, em Raminho (Terceira, Açores).

De 1977 a 1981 trabalhou no Seminário Missionário Padre Dehon como formador dos seminaristas. De 1981 a 1982 frequentou o Curso de Espiritualidade no Teresianum, em Roma. De 1982 a 1983 foi professor no Col
égio Missionário, no Funchal. Quando foi confiada à Província a Zona Pastoral da Ribeira Brava, o Pe. Gil assumiu o cargo de Pároco da Ribeira Brava e da Serra d’Água. Aí desempenhou o seu ministério desde 25 de Setembro de 1983 até 1998. Desde 1998 que pertencia à comunidade do Forte da Casa, sendo primeiro pároco de Vialonga até 2001 e a partir desse ano pároco da Paróquia do Forte da Casa.

Partiu para a casa do Pai pelas 11h30 do dia 31 de Maio de 2013.

 

 

Pe. Zeferino Policarpo, scj

superior provincial