Do Canadá, onde me encontro em visita aos confrades da Congregação, gostaria de saudar todos os peregrinos que se juntam à Família Dehoniana de Portugal, nesta já tradicional peregrinação anual a Fátima.
O tema deste ano, ligado à figura do Pe. Dehon, na sua síntese vital entre a paixão por Deus e a paixão pela humanidade, constitui um modelo actual de fidelidade a Deus e de compromisso na Igreja e na sociedade. A sua pessoa e a sua acção constituem, hoje, um desafio para quantos sentem o apelo de Deus, para deixar-se guiar pelo seu Espírito na construção de um mundo melhor, onde o Coração de Deus ensine os homens a terem coração.
A presença de D. Manuel Quintas, a quem saúdo fraternalmente, constitui uma referência à Igreja portuguesa, onde os dehonianos estão inseridos e onde procuram dar a sua colaboração activa, juntamente com tantas outras pessoas que participam nesta peregrinação. É igualmente significativa a presença de representantes dos nossos missionários, sobretudo em Madagáscar e Angola. Eles exprimem a abertura de coração e a generosidade de empenhamento de tantos homens e mulheres  sacerdotes, religiosas, religiosos, leigos jovens e adultos  que deixam a sua terra, cruzam fronteiras e semeiam no coração dos homens, o desejo de um mundo novo, segundo a Boa Nova do Evangelho.
A Família Dehoniana portuguesa tem dado passos muito significativos nesta abertura à missão da Congregação e da Igreja. Peço ao Senhor que abençoe o esforço de quantos realizam, promovem e colaboram neste movimento de fraterna solidariedade. Que o seu coração não desanime e os seus braços não cansem e que o Senhor lhes dê sempre a alegria e a persistência de colaborarem com Ele na construção de um mundo de fraternidade e de paz.

Montreal – Canadá, 04 de Junho de 2005

| José Ornelas Carvalho, scj – Superior Geral |