Print Friendly, PDF & Email

O Teatro Nacional de São João apresentou, nos dias 16 a 18 de Julho, no Mosteiro de São Bento da Vitória, a peça teatral “O Jogo do Amor e do Acaso” de Marivaux (1688-1763). Entre os actores conta-se o jovem religioso dehoniano, Pedro de Sousa. Este trabalho assume-se como um exercício dos alunos finalistas do curso de teatro da Escola Superior Artística do Porto.

“Pierre Carlet de Chamblain de Marivaux (1688-1763) foi um jornalista, dramaturgo e romancista francês, nascido e falecido em Paris. O teatro de Marivaux é uma espécie de ponte entre o teatro tradicional italiano da commedia dell’arte e as suas célebres personagens e o novo teatro francês mais literário, mais próximo dos autores da época, e herdeiro de Molière. Considerado como o mestre da máscara e do disfarce que conduz ao engano, Marivaux é um artífice no emprego da linguagem e do discurso, que transforma numa autêntica máscara por trás da qual se escondem as personagens, frequentemente jovens, temerosas de desvelar os seus sentimentos. O jogo psicológico dos seus comportamentos desenvolve-se sob o olhar dos mais velhos, que zombam deles, numa mistura de indulgência e maldade.

No campo dos estudos psicológicos, Pierre Marivaux, considerado um grande estudioso do amor, especialista na observação do surgimento desse sentimento nas suas personagens, empresta o seu nome à palavra marivaudage, que define a fineza das suas peças famosas, como A Vida de MarianneO Jogo do Amor e do Acaso, entre outras” (extraído da apresentação distribuída aos espectadores).

José Domingos, scj