Print Friendly, PDF & Email

No passado dia 24 de janeiro, pelas 18h30, o Roque Forma e o Miguel Bernardo, membros da Província Moçambicana dos Sacerdotes do Coração de Jesus, mas atualmente em formação inicial no Seminário Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, renovaram os seus votos religiosos de castidade, pobreza e obediência.

A celebração decorreu com muita simplicidade, uma vez que a comunidade se encontra em isolamento profilático e alguns dos seus membros limitados ao espaço dos seus quartos. O lugar para a celebração não pôde ser, desta vez, o habitual Oratório do Seminário, mas foi identicamente um lugar digno, tendo por perto a imagem de São José, num ano a ele dedicado. Por delegação, recebeu os votos do Roque e do Miguel o Superior do Seminário, Padre Paulo Coelho, estando presentes os outros membros da Equipa Formadora, os Padres Ricardo Freire, Tiago Espírito Santo e Joaquim António.

Apesar de toda esta situação, que nos lembra tantos outros doentes, damos graças ao Senhor pelo chamamento que Jesus nos dirigiu, que hoje, como ontem, continua a dizer: “Vem e segue-Me”. Agradecemos igualmente o precioso dom da perseverança, que nos fez chegar a este dia cheios de alegria e gratidão. O nosso muito obrigado vai também para todos os que nos ajudam na nossa formação humana, académica e espiritual, assim como para tantos benfeitores que rezam por nós e que nos apoiam com as suas generosas partilhas.

Este ano renovamos os votos diante da imagem de São José, iluminada pela luz da vela, sinal da presença de Deus, memória do batismo recebido e da nossa consagração. O Santo Padre, o Papa Francisco, propõe-nos um ano de São José. Da sua Carta Apostólica Patris Corde encontramos oportunas palavras para o que estamos a viver: através de São José, é como se Deus nos repetisse: “Não tenhais medo!”; “a fé dá significado a todos os acontecimentos, sejam eles felizes ou tristes”; o acolhimento praticado pelo pai de Jesus “convida-nos a receber os outros sem exclusões, tal como são”, com “uma predileção especial pelos mais frágeis”; São José “sabe transformar um problema numa oportunidade, antepondo sempre a sua confiança na Providência”; protetor de Jesus e de Maria, José “não pode deixar de ser o Guardião da Igreja”.

Miguel Bernardo, scj