Foi com grande surpresa que recebi o convite da Província Portuguesa dos Dehonianos para participar neste Encontro. Interroguei-me, de imediato, qual poderia ser a utilidade da minha participação enquanto leiga e mulher, num encontro tão interno e específico quanto este. Sobretudo, quando em questão estava a reflexão sobre “Espiritualidade: que temos nós em comum enquanto dehonianos?”.
Estou de regresso deste acontecimento. Difícil é fazer uma síntese do que se vive “bem cá dentro”, do que não é traduzível por simples palavras noticiosas. No entanto, não posso deixar de partilhar, com todos os que vivem a espiritualidade dehoniana, o que experimentei de diferente e os desafios que foram surgindo.
Quinze províncias da Europa reflectiram, nesta semana, sobre a Espiritualidade Dehoniana, partilhando o que os unia, enquanto uma identidade espiritual comum. Formavam um grupo de 34 sacerdotes. Sentados, a seu lado, questionando, reflectindo, estávamos nós, 4 leigos: Paola de Angelis (Itália do Sul) Luc Decuypere (Holanda) e Gómez Serapio (Espanha). Foi uma leitura da realidade partilhada. Partilhada por olhares naturalmente diferentes: diferentes pela cultura, pela vocação, pela sensibilidade pessoal… Em Igreja chamamos experiência de comunhão.
Redescobrimos o quanto é intensa e rica a espiritualidade dehoniana, deixada pelo Padre Dehon. O quanto ainda falta fazer para a partilhar com o mundo dos nossos tempos, numa clareza de linguagem, numa firmeza de acção, através de um diálogo de amor. Em Igreja chamamos experiência de confiança.
Confrontamo-nos enquanto dehonianos o quanto esta comunhão de províncias e de toda a família dehoniana é fundamental, para que a Família seja maior, mais próxima, mais dinâmica e mais actuante no mundo de hoje. Em Igreja chamamos experiência de missão.
Para nós leigos, presentes neste encontro, não podemos calar a grande responsabilidade deste envolvimento. Sugerimos um maior diálogo com a comunidade laical, que os sacerdotes dehonianos escutassem mais as famílias, os jovens e que nos fosse facilitada mais formação espiritual. Enquanto leigos, um desafio lançámos nós, a nós próprios: um encontro europeu de leigos comprometidos com a espiritualidade dehoniana.
Agradeço ao Bom Deus por ter suscitado carisma dehoniano na Igreja e no Mundo e agradeço o convite que o a Província Portuguesa me fez, na pessoa do Provincial Padre Zeferino Policarpo, proporcionando-me uma experiência de Comunhão de Igreja tão intensa.
Bem Haja!

Eugénia Magalhães