Print Friendly, PDF & Email

De 17 a 19 de Fevereiro de 2014, realizou-se no Seminário Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, a XV Assembleia de Párocos Dehonianos. Participaram 32 religiosos scj, na sua maioria empenhados pastoralmente em paróquias, reitorias, capelanias, vindos das mais variadas proveniências – das dioceses do Algarve, Aveiro, Coimbra, Funchal, Lisboa e Porto – e, num ambiente familiar e fraterno, refletiram sob o tema “Família, lugar privilegiado da vivência da fé”.

Em sintonia com o debate promovido pelo Papa Francisco para a preparação do Sínodo dos Bispos sobre a Família, que ocorrerá em outubro 2014, iniciámos com a reflexão “Os desafios pastorais da família no contexto da evangelização”. Numa conjetura socio-religiosa em mudança onde tudo se altera rapidamente, a família sofre o desafio de ser equiparada a outras formas de comunidade de vida. Preocupa-nos, pois, o seu presente e o seu futuro como sinal do amor esponsal e fiel entre Deus e a Igreja. Podemos, pois, encontrar no nosso carisma respostas interpelantes a estes desafios.

Identificámos, assim, algumas constatações:

1. A família é lugar privilegiado da experiência de Deus e de Igreja;

2. A família é uma comunidade íntima de vida e de amor, fundada pelo Criador (GS 48). Esta comunidade, baseada no consentimento dos esposos, tem Deus como seu autor;

3. A família é berço e escola, ajuda a viver em sociedade, educa para o encontro e para a comunhão; “treina” para as ruturas e para as separações;

4. A paróquia é espaço de fé e colabora com a família na missão de educar os filhos. A comunidade paroquial é uma ajuda na educação mais testemunhada que ensinada;

5. A paróquia é sinal de esperança: a Igreja abraça com amor os mais débeis e frágeis, promove uma atenção para com todos, indo ao encontro daqueles que têm necessidade de ajuda, seguindo o apelo do Papa Francisco de ir às periferias;

6. A paróquia é fonte da caridade e a família lugar de solidariedade. A vontade de Deus é o bem dos seus filhos. A paróquia e a família estão assim unidas em favor de um bem comum, comprometidas pela promoção humana numa luta ativa por um mundo mais justo e fraterno. A caridade dá autenticidade à nossa fé, une-a à vida e dá vida à fé.

7. Face às comunidades de vida que fogem do matrimónio, a Igreja deve reforçar o testemunho positivo da família e do matrimónio, sabendo receber, acolher e acompanhar;

8. A unidade na diversidade, animada pela espiritualidade conjugal e pelo amor fiel e indissolúvel, aberta à vida e ao serviço, é para nós testemunho de fidelidade; os esposos predispostos a viverem em comunhão de verdade são um contínuo desafio à nossa pastoral.

Como religiosos dehonianos ao serviço da Igreja local temos a certeza de que Cristo está connosco. Conscientes da importância da família como sinal do amor de Deus na sociedade em mudança, continuamos disponíveis para educar e guiar, proteger e ensinar a caminhar em liberdade e responsabilidade, fazendo da família o lugar privilegiado da vivência da fé.

Alfragide, 19 de Fevereiro de 2014

Os Párocos Dehonianos