Print Friendly, PDF & Email

Apóstolo da imprensa

Outro campo de Apostolado, no qual Leão Dehon foi inovador, é o da Imprensa.
Em S.Quentin havia 6 jornais de diversas tendências. O jovem Sacerdote Dehon nota a falta de um jornal católico; funda por isso em Novembro de 1874, “Le Conservateur de l’Aisne” para animar à renovação sócio-religiosa da cidade.
Tinha intuído a importância da imprensa como meio de promoção humana e de difusão do anûncio evangélico. Dirá mais tarde: “Um dos meios mais activos de apostolado é a imprensa. Pode-se-lhe aplicar aquilo que S. Paulo diz a respeito da pregação: “Proclama a palavra, insiste a propósito e fora de propósito, argumenta, ameaça e exorta, com toda a paciência e doutrina (2Tm 4,2). É necessário colocar nisso um zelo incansável.

Ligados directamente ao apostolado social há numerosos escritos, entre os quais:
– Manual Social Cristão, publicado em 1894 em 3.000 cópias, teve 5 edições em França. Nesse livro o Pe. Dehon denuncia a insuficiência da economia liberal e da solução socialista; condena os lucros exorbitantes do capitalismo; defende a dignidade do trabalho humano. Propõe a intervenção conjunta da Igreja e do Estado, dos operários e dos empresários: cada um segundo as suas competências. “O Manual tornou-se logo um livro clássico para quem queria empenhar-se na acção social segundo as directivas papais” (Prelot).
– Catecismo Social, publicado em Fevereiro 1898, em forma de catecismo de pergunta e resposta, retoma a temática do Manual Social para tornar acessível a todos a doutrina social cristã.
– Directivas Pontifícias Políticas e Sociais, publicadas em Dezembro 1897, entram no âmago da situação política e social francesa, defendendo e propondo o convite de Leão XIII de aderir à terceira república francesa.
– O Renovamento Social Cristão publica as Conferências Romanas sobre a questão social e política: cinco Conferências realizadas em Janeiro-Março de 1897, três em 1898 e uma em 1900.

Estas obras, traduzidas em diversas línguas, são as primeiras obras católicas de divulgação da doutrina social da Igreja. Referindo-se a todos os seus escritos sobre o campo social, o Pe. Dehon dirá: “Com o meu Manual Social e os meus livros…, não tinha eu a missão de propagar entre o Clero os princípios e as obras da vida social cristã, como Albert de Mun e La Tour du Pin para as classes dirigentes e aristocráticas, como Leon Harmel e Vrau para o mundo da indústria?” (Janeiro de 1918)

Há ainda as Obras de Espiritualidade para a vida cristã, centradas particularmente sobre o Sagrado Coração e sobre os elementos da sua espiritualidade. Entre as obras mais conhecidas e traduzidas em outras línguas, quero citar-vos: O Mês do S. Coração (1900), Vida d’Amor ao S. Coração (1901), O Coração Sacerdotal de Jesus (1907), Ano com o S. Coração (1919).

Finalmente a Revista “O Reino do S. Coração de Jesus nas almas e na Sociedade” (25.01.1881), cujo título expressa bem o programa do apostolado religioso e social a que o Pe. Dehon se dedicou.

Da entrevista do P. Umberto Chiarello Scj à TeleDehon em Março de 1996, publicada como opúsculo para os benfeitores na revista “Piccola Opera Sacro Cuore” de Vitorchiano, em Março de 1997.

Tradução: P. Manuel Chícharo, scj