Print Friendly, PDF & Email

CANTO DE EXPOSIÇÃO DO SANTÍSSIMO

INTRODUÇÃO

O lado aberto e o coração trespassado do Salvador são para o padre Dehon e para os seus filhos espirituais a expressão mais evocadora de um amor, do qual experimentam a presença activa na sua própria vida (cf. Cst 2). A fé rege a nossa vida e inspira-nos a deixar tudo para seguir Jesus Cristo.
Em Cristo, o crente é um homem novo, recriado segundo o Espírito. Esta condição implica atitudes positivas e comportamentos coerentes para viver e testemunhar na comunidade e na sociedade (cf. Cst 3b). No meio dos desafios do mundo, de facto, devemos consolidar a nossa fé, vivendo na caridade (cf. Cst 9).

Escutai a Palavra de Deus, da Carta do Apóstolo São Paulo aos Gálatas
(Gal 2,11-20)

Quando Cefas veio para Antioquia, opus-me frontalmente a ele, porque estava a comportar-se de modo condenável. Com efeito, antes de terem chegado umas pessoas da parte de Tiago, ele comia juntamente com os gentios. Mas, quando elas chegaram, Pedro retirava-se e separava-se, com medo dos partidários da circuncisão. E com ele também os outros judeus agiram hipocritamente, de tal modo que até Barnabé foi arrastado pela hipocrisia deles. Mas, quando vi que não procediam correctamente, de acordo com a verdade do Evangelho, disse a Cefas diante de todos: «Se tu, sendo judeu, vives segundo os costumes gentios e não judaicos, como te atreves a forçar os gentios a viver como judeus?» Nós, por nascimento, somos judeus, e não pecadores de entre os gentios. Sabemos, porém, que o homem não é justificado pelas obras da Lei, mas unicamente pela fé em Jesus Cristo; por isso, também nós acreditámos em Cristo Jesus, para sermos justificados pela fé em Cristo e não pelas obras da Lei; porque pelas obras da Lei nenhuma criatura será justificada. Mas se, ao procurarmos ser justificados pela fé em Cristo, fomos também nós achados como pecadores, não será Cristo um servidor do pecado? De maneira nenhuma! Se, com efeito, aquilo que eu tinha destruído, o volto a construir, sou eu que a mim próprio me apresento como transgressor. É que eu pela Lei morri para a Lei, a fim de viver para Deus. Estou crucificado com Cristo. Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim. E a vida que agora tenho na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus que me amou e a si mesmo se entregou por mim.
Silêncio para reflexão pessoal e para adoração

ORAÇÃO

Voltamos o olhar para Ti,
Jesus crucificado do lado aberto,
que Te entregaste a nós
no último gesto de nos dar o coração.

Carregado do pecado do mundo,
recusado pela terra e abandonado pelo céu,
foste entregue à morte.

Agora, que vives na glória do Pai,
a tua ferida permanece aberta
a dizer o amor sem fim de Deus,
a infundir o teu Pentecostes de graça.

A nossa família dehoniana tem a alegria de se inspirar
no mistério do teu lado aberto:
que nasceu e encontrou graça,
e foi consagrado por um sacerdócio santo.

Em comunhão com a Igreja,
ela Te glorifica e Te bendiz
e proclama no mundo o teu Evangelho de Misericórdia.

Concede-lhe o teu perdão
mantém a sua fé reconhecida,
acolhe a sua oferta quotidiana
e renova-a no teu amor,
para que possa trabalhar para o advento do teu Reino
nos corações e na sociedade.
Ámen.

CÂNONE DE TAIZÉ (OU OUTRO)

Bonum est confidere in Domino,
Bonum sperare in Domino.