Print Friendly, PDF & Email

10 Si scires donum Dei et quis est qui dicit tibi da mihi bibere tu forsitan petisses ab eo et dedisset tibi aquam vivam 11 dicit ei mulier Domine neque in quo haurias habes et puteus altus est unde ergo habes aquam vivam 12 numquid tu maior es patre nostro Iacob qui dedit nobis puteum et ipse ex eo bibit et filii eius et pecora eius 13 respondit Iesus et dixit ei omnis qui bibit ex aqua hac sitiet iterum qui autem biberit ex aqua quam ego dabo ei non sitiet in aeternum 14 sed aqua quam dabo ei fiet in eo fons aquae salientis in vitam aeternam (Jo 4, 10-14).

10 Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 11 Respondeu-lhe ela: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? 12 És tu, porventura, maior do que Jacob, o nosso pai, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu, e, bem assim, seus filhos, e seu gado? 13 Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; 14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna (Jo 4, 10-14).
 

Primeiro Prelúdio. Temos no tabernáculo a árvore da vida, a fonte da vida, a pedra preciosa que é preciso comprar a todo o custo.
Segundo Prelúdio. Senhor, é o vosso divino Coração que é o fruto da vida e a pedra preciosa, quero adquiri-lo e vós mo quereis dar.

PRIMEIRO PONTO: Quem está lá? É a fonte da vida. – O paraíso terrestre tinha também a sua nascente fecundante. A eucaristia é a nascente que rega toda a terra com uma corrente de graças.
A Jerusalém celeste, diz S. João, tem também o seu rio de vida, límpido como o cristal e brotando do trono de Deus e do cordeiro. No céu serão a vida e o amor de Deus que hão-de saciar os eleitos; mas, aguardando, é a Eucaristia que nos dá o antegosto do céu. Ela brota do Coração de Jesus, como uma fonte inesgotável. Ela traz às almas o refrigério e a purificação de que têm necessidade (Ap 22).
No profeta Jeremias, Deus reprova ao seu povo terem-no deixado, a ele, fonte de vida, para irem às cisternas vazias, isto é, aos ídolos ou às criaturas que não podem suster a vida espiritual. Não é isso que eu faço todos os dias? Quando é que terei a coragem de me agarrar somente a Jesus, à sua Eucaristia, ao seu Coração que é a verdadeira fonte de vida? Ele convida-me como convidava a Samaritana: «Aquele que bebe da água que eu dou, dizia, será saciado. Nunca mais sentirá a sede doentia de uma alma desgarrada, porque eu sou a fonte de vida…».
Senhor, dir-vos-ei como a pobre Samaritana: Dai-me desta água, para que eu não tenha mais sede. Fazei-me saborear o amor do vosso coração, para que me desapegue das criaturas. /632

SEGUNDO PONTO: Quem está lá? É a árvore da vida. – É a verdadeira árvore da vida, da qual a do paraíso não era senão uma figura. Aquela dava um pão que sustentava a vida do corpo, mas a Eucaristia é o pão espiritual, o pão da vida descido do céu, que dá a imortalidade da alma àqueles que o comem dignamente.
A cidade celeste descrita por S. João terá também a sua árvore da vida que dará os seus frutos variados para cada mês e folhas próprias que curarão todas as enfermidades. Nós temos também isso na Eucaristia. É um fruto variado que não gera saciedade. Alimenta a vida espiritual; as folhas simbolizam os dons que acompanham a graça: a alegria, a paz, o zelo.
Nosso Senhor descreveu ele mesmo a Margarida Maria a devoção ao seu Coração Eucarístico como «uma árvore sagrada, carregada de frutos excelentes e salutares, que este coração divino quer que seja distribuído com abundância a todos os que dele desejarem comer…» (Carta ao P. Croiset).

TERCEIRO PONTO: Quem está lá? – É a pedra preciosa, junto da qual o ouro não é nada. O reino dos céus, diz Nosso Senhor (Mt 13), é semelhante a uma pedra preciosa que um negociante descobre. Vende tudo o que tem para a conseguir. Nós temos no tabernáculo o Rei dos reis.
Está à nossa disposição com o seu reino que é a sua graça sobre a terra aguardando a sua glória no céu. Não deveríamos deixar tudo e tudo sacrificar por este reino?
Infelizmente deixei muitas vezes a Eucaristia e o Coração de Jesus pelas criaturas, como o povo de Israel que sacrificava o serviço de Deus por um bocado de pão (Ez 13, 19).
Mas a pedra preciosa não está longe. Ainda é tempo. Posso encontrá-la e comprá-la, se faço os sacrifícios necessários. A Eucaristia está lá, o Coração de Jesus está lá no tabernáculo. Mas Nosso Senhor fixa-me um preço de resgate, é o tal sacrifício que é preciso fazer, é o tal apego que é preciso romper. Conheço este preço pelo meu exame particular, conheço-o pelas minhas confissões habituais. Sei o que é preciso sacrificar, mas a coragem falta-me.
Senhor, ajudai-me, peço-vos pela bondade do vosso coração e pela intercessão de Maria.

Resoluções. – Eis a árvore da vida, continuarei a abandoná-la para correr ao fruto proibido? Eis a fonte de vida, irei ainda beber ao riacho envenenado? Eis a jóia de um preço infinito, vou desdenhá-la /633 por um prazer sensual? Não, quero hoje voltar às minhas resoluções salutares. Hei-de ir buscar a minha força junto do sacrário.

Colóquio com Jesus-Hóstia.