No dia 17 de Setembro, a Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus exultou com a Primeira Profissão de 4 novos membros: o André Alberto, de Cinfães; o Emanuel Vítor, do Jardim da Serra (Madeira); o Júlio César, de Marco de Canaveses; o Jorge André, de Lousada.
O feliz evento realizou-se na igreja do Carmelo de Cristo Redentor, em Aveiro. As Irmãs Carmelitas participaram entusiasticamente, pondo à disposição a Igreja e outros ambientes necessários, e colaborando na liturgia de várias formas, nomeadamente tocando vários instrumentos e cantando com os noviços e religiosos dehonianos. Foi um extraordinário momento de espírito eclesial e um belo testemunho de comunhão de carismas. Como Teresa de Jesus, e como Leão Dehon, experimentámos a felicidade de ser «filhos da Igreja» e a riqueza de dons com que o Espírito Santo a cumula.
A igreja do Carmelo encheu-se de noviços, religiosos e sacerdotes, principalmente dehonianos, bem como de familiares e amigos dos candidatos à Profissão. Registe-se também a presença dos pré-postulantes, vindos de Coimbra, bem como de um bom grupo de antigos colegas dos professantes que, entretanto, deram outra orientação à sua vida.
Presidiu o Superior Provincial dos Sacerdotes do Coração de Jesus (Dehonianos), Pe. Manuel Joaquim Gomes Barbosa.
A Eucaristia decorreu como é habitual em momentos solenes. Proclamado o Evangelho, foram chamados e apresentados os candidatos. Seguiu-se o pedido de admissão e a homilia. A celebração atingiu o ponto alto quando, após o canto das ladainhas dos Santos, cada um dos jovens, apresentado pelos seus pais, ajoelhou para pronunciar os votos de castidade, pobreza e obediência, segundo as Constituições dos Sacerdotes do Coração de Jesus. Seguiu-se a assinatura do Livro de Actas, o Acto de Oblação, a entrega da Cruz e da Regra de Vida. O rito da Profissão terminou com abraço de acolhimento fraterno dos recém-professos pelo Provincial e outros religiosos dehonianos presentes. Depois, a Eucaristia continuou como é habitual. Mas, antes da bênção final, os novos religiosos fizeram a consagração a Nossa Senhora e depuseram a seus pés uma rosa branca. Logo de seguida, o coro entoou a Ave Maria de J. Arcadelt, a quatro vozes.
Terminada a celebração, a religiosas carmelitas, receberam no locutório os recém-professos, com os seus familiares, acompanhados pelo Superior Provincial e por outros dehonianos. Foi mais um belo momento de confraternização que todos irão certamente lembrar por muitos anos.
Ao fim da tarde, na Casa do Sagrado Coração, foi oferecida uma refeição festiva.

| Fernando Fonseca, scj |