Mons. Saturino Gomes, scj

Nova organização da Cúria Romana

A 5 de junho de 2022, Solenidade de Pentecostes, entrou em vigor a nova reforma da Cúria Romana, determinada na Constituição Apostólica “Praedicate Evangelium”, promulgada pelo Papa Francisco, a 19 de março último. A Cúria Romana, com os seus diversos Dicastérios, está ao serviço do Papa como Pastor da Igreja universal, e também dos Bispos, sucessores dos Apóstolos. Este novo documento abroga na totalidade a Constituição Apostólica “Pastor Bonus”, de 28 de junho de 1988, promulgada por São João Paulo II.

 

Visitas “ad limina apostolorum”

O Santo Padre Francisco está recebendo grupos de Bispos brasileiros em visita “ad limina apostolorum”. Os Bispos, além da audiência com o Romano Pontífice, rezam diante dos túmulos dos Apóstolos Pedro e Paulo, celebram a Eucaristia nas quatro Basílicas principais romanas, e visitam alguns Dicastérios da Cúria Romana.

O “Diário” do Papa Francisco

Apesar das limitações de saúde, o Papa Francisco tem levado por diante uma agenda intensa de trabalho: audiências a figuras da Igreja e dos Estados, audiência geral às quartas–feiras, presidência de celebrações no Vaticano, encontros com grupos italianos e estrangeiros, entrevistas a órgãos de comunicação social. Rezemos pela sua saúde, que Deus lhe dê as forças necessárias para desempenhar bem a sua missão.

Canonizações em S. Pedro

Conforme anunciei no último número, o Papa Francisco canonizou a 15 de maio de 2022, na Praça de S. Pedro, dez novos santos. Na homilia proferida, o Santo Padre exortou os fiéis a viverem a santidade: “Às vezes, insistindo muito sobre o nosso esforço para praticar boas obras, criamos um ideal de santidade demasiado fundado em nós mesmos, no heroísmo pessoal, na capacidade de renúncia, nos sacrifícios feitos para se conquistar um prémio. Às vezes temos uma visão demasiado pelagiana da vida. Deste modo fizemos da santidade uma meta inacessível, separamo-la da vida de todos os dias, em vez de a procurar e abraçar na existência quotidiana, no pó da estrada, nas aflições da vida concreta e – como dizia Teresa de Ávila às suas irmãs – «entre as panelas da cozinha». Ser discípulo de Jesus e caminhar pela via da santidade é, deixar-se transfigurar pela força do amor de Deus”.

Catequeses sobre a velhice

O Papa Francisco tem mostrado ao longo do seu Pontificado um grande interesse pelas pessoas idosas. Nas audiências gerais das quartas-feiras, no Vaticano, tem dedicado as catequeses a esse tema, sensibilizando a Igreja, a sociedade, os políticos e as famílias, para a valorização da sabedoria de quem chega a essa etapa, e pedindo apoios para eliminar todas as barreiras ainda existentes.

 

II Dia Mundial dos Avós e dos Idosos

Terá lugar a 24 de julho de 2022, o II Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, iniciativa que partiu do Papa Francisco. A data tem a ver com a proximidade da festa dos Santos Joaquim e Ana, pais da Virgem Maria e avós de Jesus, que se celebra a 26 de julho. A mensagem que o Santo Padre enviou a toda a humanidade tem como título: “Dão fruto mesmo na velhice” (Salmo 92, 15), em que nos é oferecida uma profunda e bela reflexão sobre esta realidade. Diz o texto: “A velhice não é um tempo inútil, no qual a pessoa deva pôr-se de lado recolhendo os remos para dentro do barco, mas uma estação para continuar a dar fruto: há uma nova missão, que nos espera, convidando-nos a voltar os olhos para o futuro. A nossa sensibilidade especial de idosos, da idade anciã às atenções, pensamentos e afetos que nos tornam humanos deve voltar a ser uma vocação para muitos. E será uma escolha de amor dos idosos para com as novas gerações”.

 

Próximas visitas do Papa Francisco

Estão previstas as seguintes viagens do Papa ao estrangeiro: Canadá, 24 a 30 de julho. Essas visitas correspondem a convites das autoridades civis e eclesiásticas desses países.

 

Paz no mundo

O Papa não se tem poupado a esforços para promover a paz no mundo, em particular o seu apelo para que cesse a guerra entre a Rússia e a Ucrânia. Desde a condenação desta tragédia humana à consagração dos dois países ao Imaculado Coração de Maria, Sua Santidade tem sensibilizado os responsáveis para que tenham em consideração a dignidade das pessoas e o bem dos povos. Num discurso proferido a novos Embaixadores, no Vaticano, o Papa lamentou esta dramática situação: “Mais do que nunca, as modernas formas de comunicação sacudiram as nossas consciências apresentando em tempo real imagens fortes e, por vezes, horripilantes de sofrimento e de morte. Estas mesmas imagens inspiraram também um sentido de solidariedade e de fraternidade, que levaram muitos Países e indivíduos a fornecer assistência humanitária” (19/05/2022).

 

Guarda Suíça no Vaticano

Há mais de 500 anos a Guarda Suíça, composta por homens suíços, está ao serviço dos Papas no Vaticano. Tudo começou no ano 1506, quando os primeiros suíços chegaram a Roma, respondendo a um pedido do Papa Júlio II. A 6 de maio de 1527, a Cidade Eterna foi atacada por lansquenetes do imperador Carlos V. Hoje, este acontecimento histórico é conhecido como o “Saque de Roma”. Durante este assalto, os suíços tentaram em vão resistir ao assalto. Só 42 das 189 Guardas Suíças Pontifícias sobreviveram ao massacre. No dia 6 de maio de cada ano, festa da Guarda, há o juramento de novos recrutas, com um cerimonial peculiar. Para mais informações, podeis consultar o site www.guardiasvizzera.ch