Print Friendly, PDF & Email

Do dia 08 ao dia 12 de Fevereiro os pré-postulantes Francisco Nóbrega, João Amaro, João Filipe, José Manuel, Mário Filipe e Vítor Ricardo; juntamente com o Carlos Araújo, o Pe. João e o Pe. Gil fizeram-se à estrada a caminho de Valença para aí iniciarem a caminhada a pé, rumo a Santiago.

Os três primeiros dias foram chuvosos, mas a chuva não nos fez desistir do nosso objetivo que era chegar a Santiago. A chegada aos albergues, o carinho das pessoas que encontrámos pelo caminho, o banho quente, os momentos de oração e de convívio que fomos vivendo em cada dia compensavam a dureza do caminho.

No quarto dia, o dia da chegada a Santiago, tivemos tréguas. Nesse dia não choveu. Depois de termos avistado as torres da Catedral ao longe e do coração começar a bater mais forte, ainda foram muitas as voltas que tivemos de dar para chegar junto da Catedral.

Chegámos à praça do Obradoiro por volta das 15h00. O momento da chegada foi muito especial. Cantámos, abraçámo-nos, descansámos, rezámos… Tinham sido muitos quilómetros na expectativa de chegar ali. Fomos visitar a catedral entrando pela Porta Santa. Abraçámos a imagem de Santiago, visitámos o túmulo e a Catedral sem esquecer a capela do Santíssimo, onde diante do Santíssimo exposto agradecemos a facto de termos chegado ali sãos e salvos.

Já no último dia, aproveitámos para “passear” nos arredores da Catedral. Tivemos tempo para arranjar recordações e de “explorar” um pouco melhor a beleza da Catedral. Ao meio-dia participámos na Eucaristia do Peregrino onde concelebraram o Pe. João e o Pe. Gil. Naquele dia, para nossa tristeza, não foi usado o bota-fumeiro.

Depois de termos almoçado por ali e nos termos despedido de Santiago, voltámos à pátria entre chuva e nevoeiro. Ao chegarmos ao Centro Dehoniano na adoração eucarística, agradecemos a Deus o caminho, e as forças que recebemos d’Ele para a sua realização.

Retemos na memória tudo o que passámos nestes cinco dias: as orações, as reflexões, os risos, as cantorias e as partilhas que nos levaram a estar mais perto de Deus e a refletir sobre este caminho a que Ele nos chama a seguir.

 

José Pereira