Fernando Rodrigues da Fonseca, scj

Celebramos o domingo da alegria. Aproxima-se o grande mistério da salvação, o Natal do Senhor. Esperamo-lo com fé, desejosos de acolher o Senhor que vem. O profeta Sofonias exorta Jerusalém à alegria, porque o Senhor nosso Deus é um Salvador poderoso que nos renova com o seu amor misericordioso. Não desanimemos, mas cantemos e exultemos, porque o Senhor está perto, e é a nossa força e o nosso cântico.

S. Paulo convida-nos a exultar no Senhor, que está sempre perto de nós: “alegrai-vos sempre no Senhor!”. Por isso, sejamos amáveis, não nos inquietemos, mas rezemos apresentando-Lhe as nossas súplicas. A paz do Senhor guarda a nossa vida.

O evangelista Lucas põe as pessoas, que escutam a pregação do Batista, a perguntar “que devemos fazer”, sugerindo que estão abertas à proposta de salvação. João indica três atitudes a quem quer preparar-se para acolher o Senhor: ao povo em geral, recomenda a sensibilidade para com os pobres e a partilha dos bens; aos publicanos, pede a prática da justiça: não devem explorar ninguém, nem se deixar levar por esquemas de enriquecimento ilícito; aos soldados, recomenda o respeito por todos: não devem usar de violência contra ninguém, nem abusar do poder contra os fracos e os indefesos…

Repare-se como João Batista realça os “crimes contra o irmão”. Atentar contra a vida de alguém é atentar contra Deus. Quem comete tais crimes não está disposto para acolher a proposta libertadora de Cristo.

João batiza com água; Jesus batiza com o Espírito e o fogo. Assim purifica os corações, queimando as obras do mal, como o fogo queima a palha. O batismo de João é sinal de penitência; o batismo de Jesus dá a vida de Deus, que transforma o homem velho em homem novo, e o torna capaz de amar e partilhar a vida com os irmãos.

Preparemo-nos para acolher Jesus. Ele é o dom do Pai à humanidade cansada e ferida, não só da pandemia…. Ele é esperança para quem a não tem, e é alívio e descanso para quem está vergado pela dor.

Esperar o Senhor significa aprender a levar alegria, a dar e partilhar, a não nos distrairmos com coisas inúteis, mas procurar a verdade.

“Vem, Senhor Jesus!” Que os homens do poder e da riqueza não pratiquem violências com ninguém, mas sejam justos e repartam com os pobres,

Jesus reinará nas almas pelo amor. Reinará nas sociedades pelas homenagens que lhe serão prestadas e por uma nova efusão de justiça e de caridade na vida social. (Padre Dehon, ASC 50).