Nos dias 16 e 17 de Maio de 2022, realizou-se o II Encontro Dehoniano de Pastoral Social – o primeiro de forma presencial – no Seminário Nossa Senhora de Fátima, em Alfragide, convocado pelo Superior Provincial da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus – Dehonianos – e preparado e coordenado pela Comissão Provincial para a Justiça e Paz e Integridade da Criação.

Inspirados no tema “Testemunhas do Amor de Deus: respostas e desafios”, foram mais de duas dezenas os participantes, em representação de diversas instituições sociais ao cuidado da Província Portuguesa dos Sacerdotes do Coração de Jesus: Obra ABC, Rio Tinto; Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Boavista, Porto; Centro Social e Paroquial de Santo André, Esgueira; Centro Social e Paroquial do Imaculado Coração de Maria, Alfragide; Centro Social e Paroquial de São Bento, Ribeira Brava; Centro Social e Paroquial São Romão, Carnaxide.

O P. João Nélio Pereira, Superior Provincial, abriu o encontro, relevando a importância da dimensão social do nosso carisma Dehoniano, partindo do documento final da IX Conferência Geral da Congregação, realizada no passado mês de Fevereiro, em Roma.

Os trabalhos decorreram em conformidade com o programa estabelecido e deles saíram respostas e desafios que nos ajudarão a melhorar o serviço em benefício dos que temos ao nosso cuidado, com especial atenção aos mais frágeis e vulneráveis:

1. O P. Tiago da Eira Pereira apresentou-nos a Doutrina Social da Igreja como fundamento da ação social e caritativa da Igreja, desafiando-nos a conhecer melhor os muitos documentos que têm enriquecido o pensamento social cristão desde a publicação da Encíclica Rerum Novarum, pelo Papa Leão XIII, até aos nossos dias.

2. O P. José Agostinho Sousa desafiou-nos a olhar para o Padre Leão Dehon como exemplo e modelo de um compromisso social autêntico. A exemplo do Fundador da nossa Congregação, que sejamos hoje capazes de estar atentos aos maiores desafios que em cada tempo a situação social nos coloca e procurar dar-lhe a melhor resposta, trabalhando em rede e sinergia.

3. A apresentação de alguns dos nossos projetos – Unidade de Alzheimer do Centro Social e Paroquial S. Bento, da Ribeira Brava; Obra ABC; Escola de Cuidadores do Centro Social e Paroquial S. Romão de Carnaxide; Centro de apoio a vítimas de violência doméstica, da Casa do sagrado Coração em Aveiro – mostrou-nos como procuramos responder com arrojo e inovação às carências que vamos encontrando na sociedade, sem perdermos de vista a necessidade de fazermos mais e melhor.

4. Com a ajuda dos responsáveis da Caritas Diocesana de Setúbal, da Santa Casa da Misericórdia da Amadora, do Departamento da Pastoral Socio-Caritativa e do Setor da Pastoral Social do Patriarcado de Lisboa, e da SPREAD Portugal, renovámos a convicção de juntos sermos mais fortes e conseguirmos chegar mais longe, se formos capazes de trabalhar em colaboração e solidariedade, tornando dessa forma mais sustentáveis as nossas instituições e mais eficaz o serviço que prestamos aos mais vulneráveis da nossa sociedade.

Saímos deste II Encontro Dehoniano de Pastoral Social convictos de que este tempo de formação e de partilha nos enriqueceu a todos, nos encheu o coração e nos deixou com novos e mais eficientes meios para responder aos diferentes desafios que se nos vão colocando. Queremos que este espírito de partilha e de colaboração mútua prossiga, através da partilha e fortalecimento de contactos e de experiências. A Espiritualidade Dehoniana vai sempre inspirar-nos na intervenção que queremos continuar a fazer em espírito de generosa disponibilidade, sinodalidade e comunhão fraterna.

Propomos que o III Encontro Dehoniano de Pastoral Social se realize a 15 e 16 de Maio de 2023, esperando nele poder contar com a participação dum maior número de instituições e de Confrades, tanto daqueles estão envolvidos diretamente nas nossas respostas sociais, como dos que não trabalham diretamente nesta área e dos que se encontram em alguma etapa da formação inicial.


Alfragide, 17 de Maio de 2022
Os participantes no II Encontro Dehoniano de Pastoral Social