Print Friendly, PDF & Email

Chegado o dia e a hora certa, são acolhidos na Casa do Sagrado Coração os dois candidatos a noviços, António e Filipe. Porque era domingo e para que os ‘neo-inquilinos’ se sentissem em casa, depois de um longo período de arrumações e também de oração, lá fomos até à baixa aveirense para serem dados os primeiros passos neste solo que será o solo de um ano de discernimento e de encontro mais profundo com Deus.

Para que as introduções ficassem bem feitas, o segundo dia em Aveiro fica marcado pelos trabalhos de preparação do dia 12 de Agosto, comemoração que, já costumadamente, a Comunidade acolhe. E eis chegado o dia D (doze de agosto)! Pouco a pouco vão chegando os confrades das diversas comunidades do território continental… e pouco a pouco vai chegando a hora de iniciar as actividades do programa deste dia.

A primeira hora do dia é dedicada à já tradicional “conferência” dos noviços, realizada este ano pelo António acerca da “contempl-acção no carisma dehoniano”. Podemos resumir o dito da seguinte forma: Todo o religioso para alcançar uma real fecundidade apostólica necessita de uma real vida de oração. O ideal da vida cristã, e, portanto, da vida consagrada como Sacerdotes do Coração de Jesus, é uma vida na qual o contemplativo, movido pelo dinamismo suscitado pela própria contemplação, é capaz de deixar “a Deus por Deus”, ou seja, para servi-Lo nos irmãos. Estes dois elementos longe de se excluírem, reclamam-se, supõe-se, misturam-se, completam-se mutuamente: o amor de Cristo levou o Padre Dehon e leva-nos a nós ao povo para elevá-lo e santificá-lo, e o amor do povo leva ao Coração de Cristo, porque somente n’Ele se pode obter a salvação.

Celebrando o dia do falecimento do Padre Leão Dehon, lembramos também todos os nossos confrades já falecidos, e por isso, após a conferência fomos até ao jazigo da Província, no cemitério de Esgueira, rezar e fazer memória de todos os nossos que já partiram para junto de Deus. Posteriormente, regressámos a casa para celebramos a Eucaristia, dando graças pelo dom à Igreja do Venerável Padre Dehon. Momentos de alegria porque nos reuniram em volta do Altar e depois à volta das mesas, propriamente ditas, para o almoço.

Pela tarde, já no aproveitar dos últimos momentos de sol e com uma maior descrição, “como manda a lei”, durante a recitação solene de Vésperas deu-se início a mais um ano canónico de noviciado, em que foram oficialmente recebidos noviços o António e o Filipe. Que Deus os acompanhe nesta etapa e que nós os acompanhemos com a nossa oração!

No dia 13 de Agosto re-começaram os trabalhos para os noviços. Marcados pela memória da aparição de Nossa Senhora em Fátima, que diz muito ao nosso ser Dehoniano, tivemos uma manhã de formação. À tarde aproveitando sol, que finalmente aparecera,  e porque era tarde livre fomos dar um passeio com o Mestre. As paisagens magníficas prolongaram os momentos que temos vivido, com grandes quedas de água nas Frechas de Mizarela e com os fenómenos das Pedras Parideiras que tanto nos cativaram.

Assim fica marcado o início do noviciado em Aveiro com a comunidade unida para que o discernimento destes jovens siga as sendas de Deus pela vida de especial consagração nesta família Dehoniana.

António Jesus da Silva, noviço scj