Print Friendly, PDF & Email

O Padre Dehon foi um dos grandes homens que a Igreja em França conheceu durante o século XIX/XX. Prova disso mesmo é a Congregação por ele fundada, presente em 39 países e espalhada pelos cinco continentes, que conta actualmente com cerca de 2.200 membros.

Graças aos continuadores da sua obra, a devoção ao Coração de Jesus continua a ser levada aos homens do nosso tempo numa época em que parece que o amor e a felicidade deram lugar ao vazio e ao desencanto, fazendo despertar no homem um sentimento de solidão e tristeza que o fazem viver num estado de depressão. Tratando-se de épocas diferentes, o Padre Dehon não deixou de perceber que o Coração de Jesus era o remédio que os homens necessitavam para reencontrar a harmonia do seu viver.

Hoje, mais do que nunca, faz sentido actualizar a mensagem do nosso Fundador e a sociedade pede-nos que o façamos, exige que o clero saia das sacristias e vá ao encontro do homem, de forma a conseguir levantá-lo e mostrar-lhes a sua verdadeira dignidade enquanto filho bem-amado do Pai.

Passados 169 anos do seu nascimento, a sua vida continua a ser celebrada por nós. Nesse sentido, a comunidade do Seminário Nossa Senhora de Fátima fez um tríduo de preparação para festejar, de forma solene, esta efeméride. Festejando o homem graças ao qual foi possível a todos nós viver nesta comunidade, festejou-se também a vida de outros confrades.

No dia 13 de Março, terça-feira, foi a vez de a comunidade celebrar o aniversário do nascimento do Padre José Manuel Vicente e, no dia 14, o aniversário do Padre Adérito Gomes Barbosa, dois confrades cuja presença amiga e generosa significam muito para os jovens religiosos que estudam nesta comunidade. Presença amiga e fraterna são sinal de que ainda hoje é possível viver o ideal que Leão Dehon nos deixou. No dia 15, quinta-feira, foi a vez do Bispo de Angra, D. António de Sousa Braga, celebrar o seu aniversário, o qual foi lembrado nas orações da comunidade.

A vigília de oração, realizada no dia 13, contou com a presença de várias pessoas amigas e próximas, que se quiseram associar nestas comemorações. No final, a comunidade ofereceu um chá e uns bolinhos e, durante cerca de uma hora e em clima fraternal, foi possível desenvolver um diálogo entre todos.

O grande dia da festa, dia 14 de Março, foi marcado com oração de laudes solene com meditação sobre a importância da figura do Padre Dehon e da sua obra social. Por volta das 12h00 e com as comunidades SCJ das redondezas, celebrou-se a Eucaristia, presidida pelo aniversariante Padre Adérito Gomes Barbosa, a que se seguiu o almoço festivo. Os estudantes não deram por terminada a festa e realizaram uma vez mais o habitual torneio de futebol e o concurso do «chouriço»; à volta do grelhador, foi possível prolongar o momento de encontro e convívio entre irmãos, discípulos e herdeiros do Padre Dehon.

 

Nuno Pacheco, scj