No dia 13 de Fevereiro passado, chegaram a Portugal os confrades Ebode Mathias e Koogou Daniel, vindos dos Camarões, e, no passado dia 2, vindo de Madagáscar, o confrade Ando. Nestes primeiros meses estarão entre nós a estudar o português a fim de mais tarde, em Setembro, iniciarem os seus estudos teológicos na Universidade Católica Portuguesa.

Por isso mesmo, a comunidade religiosa do seminário achou por bem realizar uma festa de boas vindas a esses novos confrades. Na passada quinta-feira, dia 3 de Março, celebrámos a Eucaristia comunitária, que foi presidida pelo Padre Joaquim, missionário em Angola, e, logo depois, realizámos um jantarzinho de festa onde foi possível conviver com os confrades em torno da fogueira acesa para um pequeno churrasco. Depois, subimos para a sala da comunidade e aí tivemos outros momentos de convívio: o superior da comunidade deu as palavras de boas vindas, os novos confrades apresentaram-se em língua francesa (o Ando exprimiu-se já em português muito correcto) e, finalmente, um momento de Karaoke, que contou com uma canção em coreano com direito a encenação dramática, por parte do padre Kae Poong Lee.

São dons que o Senhor concede à sua Igreja através da entrega das vidas desses jovens confrades ao seu serviço na Igreja, de modo particular através da Congregação dos Sacerdotes do Coração de Jesus. É assim que a comunidade os acolhe, como dons de Deus para os irmãos. O sentimento, pois, é de alegria.

Chegou também em Fevereiro o Padre Agostinus, vindo da Coreia do Sul, que faz parte da Companhia Missionária da Correia, e ficará connosco durante o próximo ano a estudar português, a fim de ir para as missões em Moçambique. Veio no seguimento da partida do Padre Kae Poong Lee, também membro do mesmo Instituto Religioso e da mesma terra, para Moçambique, no dia 5 de Março. Foi um hóspede que ficou connosco ao longo do último ano, o qual deixa saudade pela sua simpatia e humildade, que sempre o “marcaram” ao longo da sua presença aqui entre nós. Desejamos ao Padre Kae Poong Lee uma boa passagem por Moçambique e pedimos ao Senhor que abençoe a sua actividade e toda a sua vida.

Nuno Pacheco, scj